Os preços da gasolina na Califórnia estão se aproximando da marca psicologicamente significativa de US$ 4 por galão desde 2018. A mídia está relatando que a alta se deve ao aumento dos preços do petróleo e culpam as políticas da OPEP e as novas sanções do presidente Trump sobre a indústria petrolífera iraniana. É verdade que os preços globais do petróleo estão maiores. O índice internacional de petróleo, Brent, está, atualmente, acima de US $ 80 por barril, mas essa não é a razão pela qual os preços da gasolina em Los Angeles, San Diego, São Francisco e na Califórnia como um todo sejam os mais altos da nação.

Nós tentamos explicar porque os preços do combustível não baixam muito no estado, mesmo durante o inverno (uma tendência nesse segmento), nos últimos anos – diferentemente de outros lugares dos EUA. A Califórnia tem comprovadamente alguns dos preços mais altos da gasolina no país e um imposto recém instituído de 12% por galão não está ajudando em nada os consumidores. A Califórnia também tem alguns dos regulamentos mais rigorosos para a gasolina no país. Na prática, isso significa que pouquíssimas refinarias estão dispostas a produzir gasolina para esse estado.

Por muitos anos, a Califórnia também exigiu que a gasolina misturada de verão (summer-blend gasoline), que é mais cara para produzir e contém aditivos extras projetados para reduzir a poluição do ar no verão, fosse usada durante todo o ano. Assim, enquanto os preços da gasolina tipicamente caem em setembro (final do verão nos EUA), os californianos, em contrapartida, pagam mais caro pelo combustível. Em 2012, quando os preços da gasolina estavam quebrando recordes, o governador Jerry Brown mudou os regulamentos para permitir que a gasolina misturada do inverno fosse vendida na Califórnia, numa tentativa de reduzir seus preços. Ainda assim, tanto as misturas de verão e inverno usadas na Califórnia são mais caras para produzir do que as usadas em qualquer outro estado.

Regulamentações ambientais estritas da Califórnia isolaram o mercado de gasolina de maior porte. Isso, por sua vez, elevou ainda mais os preços para os consumidores. Por exemplo, os custos de transporte para refinarias e as estações de serviço são mais altos porque a Califórnia não tem gasodutos interestaduais. Qualquer gasolina produzida por refinarias fora da Califórnia para uso do estado deve ser transportada por caminhão ou navio – ambos são mais caros. Coincidentemente, caminhões e remessas de gasolina também têm necessitam de mais carbono.

A situação do combustível na Califórnia é, em grande parte, culpa da administração do próprio estado e seus preços exorbitantes não devem ser atribuídos à Venezuela, ao Irã, à Arábia Saudita, à OPEP ou ao presidente Trump. Sim, os preços da gasolina na Califórnia são caros, e em alguns períodos do ano chegam a passar de US $ 4 por galão, mas os consumidores têm seus próprios impostos e regulamentações estaduais para culpar.

Existem muitos impostos estaduais da Califórnia sobre os preços da gasolina e a partir de julho de 2019, por exemplo, os californianos vão pagar quase 60 centavos só de impostos e taxas por galão. Além disso, a Califórnia é um dos seis estados que cobram imposto sobre vendas de gasolina. Este imposto, de 2.25% sobre o combustível, flutua de acordo com o preço da gasolina e, no verão de 2019, estima-se que seja de cerca de 9 centavos por galão.

Facebook Comments

Share This