Por Alexandre Perlingeiro

A ignorância de sermos dois, de estarmos separados, de sermos faltantes, nos ilude e faz com que atos totalmente insanos sejam praticados contra nós próprios. Seja pela miséria, pelo racismo, pela ganância ou pela violência, humanos são explorados, humanos morrem de fome, humanos são mortos. Também o planeta é queimado, poluído e devastado.

Por ignorância pensamos que algo nos falta. Por ignorância buscamos nos preencher com dinheiro, com poder, com prazer e até com ódio e violência. É a ignorância a raiz de todo sofrimento humano.Para a ignorância, somente o conhecimento. Somente a consciência da unidade trará fim ao sofrimento humano. Pois, se somos um, não há falta, não há medo, não há raiva nem violência.

Violência gera apenas mais violência. Ódio gera apenas mais ódio. Ignorância gera apenas mais ignorância. Que possamos interromper este ciclo vicioso com a consciência da unidade. Não somente a nação americana foi afetada com os ataques terroristas. Não somente os povos africanos estão sendo mortos pela fome. Não somente a população civil é arrasada pelas guerras mundo afora. Não somente os torturados estão sendo violentados. Não somente os excluídos estão sendo alijados do mundo. Uma parte de nós também é excluída, violentada e assassinada covarde e brutalmente.

É o homem agindo contra o próprio homem. É a ação a partir da ignorância de ser faltante que só faz trazer mais dor, sofrimento e ignorância. Como disse o Cristo na cruz, ‘perdoai-lhes Senhor porque não sabem o que fazem’. Este é um momento propício para exercitarmos o amor, a compaixão e o respeito ao próximo. Independente de nossas convicções políticas, nossas crenças religiosas, nossas nacionalidades, e nossas situações sócio-econômicas, que essa violência vivida hoje nas grandes cidades e entre nações seja cessada ou no mínimo diminuída.

Que possamos agir – a partir da consciência de que já somos a felicidade que buscamos ser – na construção de um mundo melhor para nossos filhos e netos e todos que estão por vir. Incentivo a que enviem suas orações e seu amor aos mais necessitados, aos mais pobres, aos mais desesperançosos, aos que estão sozinhos, aos idosos. A todos os que sofrem no mundo e também para aqueles que, agindo na ignorância, só fazem aumentar a violência e o sofrimento.

* Alexandre Perlingeiro é vice-presidente da Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga. – www.tantrayoga.pro.br. Pode ser contactado pelo email alexandre.perlingeiro_at_tantrayoga.pro.br

Share This