SBWeb_2016_Aug 20_Imigracao e 1_0 para Republicanos_2A corrida pela Casa Branca está acirrada entre democratas e republicanos, e a batalha para ocupar a vaga que deixará Obama, vai além dos nomes e das investidas de Trump e Clinton. Na justiça, o Supremo Tribunal Americano recentemente bloqueou o plano de imigração de Obama favorecendo os republicanos parcialmente. Mas a revanche pode estar a caminho em novembro.

Essa derrota inicial de Obama e do partido democrata ocorreu no fim de junho quando o Supremo Tribunal Americano bloqueou as ações executivas de imigração do Presidente Obama em uma decisão de empate ( 4 X 4 ), mas que favoreceu os republicamos. O jogo politico dos republicanos foi adiar uma possível nomeação do novo nono juiz da Suprema Corte por parte de Obama e que faria a diferença na matemática já que esse provavelmente iria ter tendência a apoiar o presidente, nesse caso o juiz Merrick Garland.

No momento são apenas oito (8) juízes já  que um juiz com tendências republicanas faleceu em maio deixando a vaga aberta. O plano de Obama de dar um perdão de deportação para quase 5 milhões de imigrantes ilegais marcou um grande revés para a administração do governo e matando efetivamente o plano pelo menos até a duração de Obama no poder.

Esse dia que prometia ser marcante terminou sendo de profunda decepção para os imigrantes ilegais que esperavam ansiosamente poder resolver seu status legal nos Estados Unidos.A decisão poderá ter consequências políticas e legais significativas em um ano de eleição presidencial que tem entre seus debates principais, a questão da imigração .

Obama, na ocasião, ressaltou que as mudanças feitas anteriormente à sua administração no que tange a política de imigração não serão afetadas, mas reconheceu que ações executivas adicionais são improváveis. Na ocasião, Obama também disse que a decisão dividida ressalta a importância da vaga atual no tribunal e a nomeação de um sucessor para o juiz falecido Antonin Scalia para “quebrar este laço”.

“A incapacidade do tribunal para chegar a uma decisão, neste caso, é uma lembrança muito clara de porque é tão importante para o Supremo Tribunal ter um banco completo”, declarou o presidente dos EUA. O empate de 4 x 4 não cria qualquer precedente nacional, mas deixa no lugar a decisão do tribunal de primeira instância. Neste caso, o tribunal federal de apelações em Nova Orleans disse que a administração Obama não tinha autoridade para proteger até 5 milhões de imigrantes de deportação e torná-los elegíveis para autorizações de trabalho sem a aprovação do Congresso.

Lembramos que o estado do Texas levou outros 26 estados americanos dominados por republicanos a desafiar o programa de Obama anunciado em novembro de 2014. Os republicanos do Congresso também apoiaram a ação dos estados contra as ações do governo Obama. A decisão aterriza no meio de uma temporada de eleições aquecida em que a imigração é uma questão central.

As questões da imigração seriam tratadas por dois programas distintos de Obama. Um permitiria que imigrantes indocumentados que são pais de cidadãos dos EUA ou residentes permanentes legais pudessem viver e trabalhar nos EUA sem a ameaça de deportação. O outro seria expandir um programa já existente para proteger da deportação uma população maior de imigrantes que foram trazidos para os EUA ilegalmente quando crianças.

Na teoria está por enquanto 1 X 0 a favor dos republicanos, mas acreditamos que na prática, já no final de agosto, deva estar 1 X 1 já que nos meses de julho e agosto, Trump perdeu espaço até mesmo dentro do partido republicano depois de não agir como político cauteloso e falar o que qualquer político com experiência não falaria publicamente. Em meados da produção desse artigo, no fim de agosto, a desilusão para muitos que apoiavam as ações do presidente ainda pode ser sentida, porém, uma nova esperança de grande possível revanche floresce a cada dia.

Facebook Comments

Share This