Nesta terça-feira (26), o presidente Donald Trump conseguiu uma grande vitória política com apoio da corte suprema dos EUA: o seu polêmico veto migratório para vários países de maioria muçulmana. O tribunal superior, formado atualmente por uma maioria conservadora, aprovou o decreto com cinco votos a favor e quatro contra.

Trump aprovou um veto a sete países de maioria muçulmana com o argumento de garantir a segurança nacional poucos dias depois de assumir poder, no início de 2017. Mas os tribunais derrubaram o decreto logo depois por considerá-lo discriminatório contra cidadãos de uma religião. Depois Trump emitiu um novo decreto um pouco mais ameno, mas na mesma linha, que também foi suspenso pelos juízes de instâncias inferiores à Suprema Corte. O mesmo aconteceu com um terceiro decreto, que agora foi endossado.

Fonte: New America – “A Origem dos Terroristas”

A decisão do Supremo desta terça-feira afirmou ampla discrição presidencial sobre quem é autorizado a entrar nos Estados Unidos. Isso significa que a proibição atual pode permanecer em vigor e que Trump poderia potencialmente adicionar mais países.

“Esta decisão é também um momento de profunda vindicação depois de meses de comentários histéricos da mídia e dos políticos democratas que se recusam a fazer o que é preciso para proteger nossas fronteiras e nosso país”, disse o presidente em um comunicado divulgado pela Casa Branca logo depois da decisão.

Trump afirma que a política é necessária para proteger os Estados Unidos do terrorismo por radicais islâmicos. Mas vários grupos que posicionaram contra a decisão e desafiam a proibição argumentaram que foi motivado pela inimizade de Trump em relação aos muçulmanos, pressionando este argumento na Justiça com algum sucesso, lembrando que Trump quis barrar a entrada de muçulmanos durante a campanha eleitoral.