O turismo é uma atividade que busca valorizar as premissas ambientais, sociais, culturais e econômicas conhecidas de todos nós, e inclui a interpretação ambiental como um fator importante durante a experiência turística. Porém dentro de uma sociedade com um sistema econômico que visa o lucro acima de qualquer outra coisa, não é novidade que a natureza tenha sofrido as consequências das mais variadas formas de exploração do meio ambiente.

Nesse cenário de destruição da natureza, o turismo é o setor econômico que cada dia mais depende dos valores morais e éticos para sobreviver. A preocupação com respeito ao meio ambiente e a segurança dos turistas é fundamental para o fortalecimento desta importante atividade.

Com a urbanização acelerada e a industrialização, um grave problema que ameaça a atual e as futuras gerações se instalou em praticamente todos os lugares do mundo: a poluição ambiental. Cientistas de todo o planeta se reúnem e pesquisam formas de impedir que o alto grau de poluição destrua patrimônios naturais, acabe com diversas formas de vida e acabe com o turismo em diversas regiões.

Para muitos especialistas, o grande perigo atual é ver no turismo o remédio para todos os males que afligem os municípios e, desenvolvê-lo sem um planejamento, organização e fiscalização. A responsabilidade sobre a manutenção da qualidade dos serviços prestados e dos destinos turísticos é de todos, mas é preciso saber exigir ações coerentes junto aos poderes públicos.

Uma das formas de trabalhar a questão da diminuição da poluição e o cuidados com a natureza aliada à economia é o turismo responsável. Essa forma de atividade econômica é aquela capaz de respeitar as características dos destinos trabalhados sem transformar as comunidades visitadas em satélites desgarrados da cultura urbana. É necessário impedir a destruição da beleza da paisagem aonde elas estão instaladas, ou a interferência no funcionamento dos meios de hospedagem por amadores, ou seja, locais fora do padrão estipulado pelo Ministério do Turismo.

“Os impactos ambientais mínimos precisam ser valorizados, mantendo-se distantes tudo que possa impedir que o turismo responsável consiga se estabelecer, desenvolver e crescer de maneira profissional, afirma Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News.

A Responsabilidade pela Preservação Ambiental e o Turismo

As Secretarias de Turismo devem ser vistas como o cartão de visitas de cada município, preocupadas com a aparência do local. Os novos projetos a serem implantados deverão ser bem planejados, embasados e pensados dentro de uma política integrada que aproxime o desenvolvimento do turismo aos objetivos de sustentabilidade social, econômica e ambiental.

A falta de uma política clara para o desenvolvimento do setor, aliada à forma desorganizada e, muitas vezes, irresponsável com que algumas pessoas têm praticado o turismo, tem sido motivo de grandes preocupações para os profissionais sérios envolvidos nesta “indústria sem chaminês”.

Portanto “é preciso que reflitamos sempre sobre o papel do turismo como forma de amadurecimento do indivíduo, que deverá ser capaz de respeitar a outra comunidade, com seus valores culturais, os lares precisam ser respeitados. É a construção do turismo, pela cidadania, é a ética no turismo”, enfatiza Vininha F. de Carvalho.

O meio ambiente depende de nós e o ecoturismo precisa escrever uma história coerente, na qual a cultura local deve ser muito valorizada e respeitada. É preciso disseminar os conceitos de turismo responsável, sustentável, ecológico ou como se queira chamar, antes de se acabarem com este potencial existente e não reste quase nada.

Para conhecer a revista Ecotour News, clique aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.