Por Laís Oliveira

A Serra da Barriga, símbolo máximo da resistência negra à violência da escravidão no Brasil, é polo turístico da cidade de União dos Palmares, localizada a 90 km da capital do estado, Maceió. Não existe outro igual em nenhum lugar do mundo e, tendo em vista essa importância histórica, o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, ponto turístico da Serra, se tornou patrimônio cultural do Mercosul desde 2017.

Especialmente no Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, a Serra da Barriga é “invadida” por alagoanos, turistas nacionais e até de outros países, que vão ao local para compreender a história de resistência que acabou com a escravidão e para celebrar todas as conquistas em tantos anos de luta do povo negro, descendentes ou não, de escravos.

Por ter sido cenário de um dos maiores símbolos de luta contra escravidão, o Quilombo dos Palmares foi transformado em Parque Memorial em 2007. De lá para cá, representantes de diversas entidades ligadas ao movimento negro de Alagoas e a Fundação Palmares vêm desenvolvendo o turismo da região.

Pelo pioneirismo no turismo étnico no Brasil, o Parque foi o local escolhido para sediar o primeiro projeto integrado de fomento às atividades turísticas da região. O projeto desenvolvido pelo Ministério da Cultura contará com a realização de visitas guiadas à Serra e aos ecossistemas da região, bem como a criação de uma feira permanente de artesanato, produzido pelas comunidades quilombolas de Alagoas.

O objetivo é que a cidade seja conhecida pela sua história durante todo o ano e não apenas no mês de novembro. Por isso mesmo, ainda nos planos previstos para o projeto, está a criação de um programa de atividades permanentes na Serra da Barriga destinado a receber, por meio de um agendamento sistemático, a visita de todas as escolas públicas do estado.

Atualmente uma das pessoas mais atuantes na elaboração de ações de fortalecimento do turismo étnico, tanto em Maceió, como na Serra da Barriga, é ialorixá Mãe Neide Oyá D’Oxum. Ela montou o restaurante Kùuku-Wàana (Banquete de Família) com a participação de jovens do projeto social Inaê com o apoio da Fundação Cultural Palmares e do governo Alagoas, que recebe os visitantes do Parque Memorial Quilombo dos Palmares.

Além do restaurante, há ainda o espaço cultural Baobá, na entrada da Serra da Barriga, que reúne gastronomia, capoeira, música, dança e teatro. Graças ao trabalho incansável de Mãe Neide e grupos de apoio, foi possível firmar um contrato com as agências de turismo WS e CVC. Ambas passaram a incluir o Parque Memorial Quilombo dos Palmares na lista de passeios turísticos de Alagoas.

Com o primeiro projeto integrado de fomento às atividades turísticas da região, em desenvolvimento pelo governo e parcerias desde o início de 2017, a Serra da Barriga receberá mais turistas de todo o Brasil e se desenvolverá como centro histórico e símbolo de resistência brasileiro que toda a população passará a conhecer, se orgulhar e nunca esquecer.

Facebook Comments

Share This