Por Carol Mendes e Lindenberg Junior

O mês de setembro tem sido bem movimentado para os brasileiros que vivem fora do país. Todos os anos, milhares deles tem retirado de seus armários suas camisas da seleção brasileira ou simplesmente verdes, amarelas, azuis ou brancas, pintado suas caras e exposto a bandeira do país tropical em seus carros para ir às ruas e parques em diferentes cidades ao redor do mundo, para acompanhar shows e celebrações pelo dia da independência.

É o “Brazilian Day”, que depois de vários anos de celebrações em Nova York, se espalhou pelo mundo e hoje acontece em San Diego (EUA), São Francisco (EUA), Orlando (EUA), Londres (Inglaterra), Tóquio (Japao), Toronto (Canada) e tantas outras cidades mundo afora.

O “Brazilian Day” ou “Dia do Brasil” se originou há 25 anos em Nova York por iniciativa de um grupo de imigrantes que queriam comemorar o Dia da Independência brasileira na “Big Apple” e, em particular, um homem, o empresário João de Matos. Quando tudo começou, era apenas um quarteirão, na Rua 46, conhecida como Little Brazil. Hoje o Brazilian Day NY é um dos maiores eventos populares da cidade de Nova York atraindo mais de 1 milhão de pessoas e ocupando mais de doze quadras da cidade mais famosa do mundo.

Em Los Angeles, o evento aconteceu por alguns anos entre 2007 e 2013 no “La Brea Tar Pits”, o parque que pertence ao museu de arte contemporânea da cidade, e foi organizado durante esses anos pelo Consulado Geral do Brasil em Los Angeles. O esforço da equipe do consulado de Los Angeles foi notável, mas infelizmente por falta de verbas governamentais, o evento anual deixou de existir depois de alguns anos. Mas em 2008 surgiu o Brazilian Day de San Diego, ainda na Califórnia e perto da divisa com o México.

O evento, uma iniciativa do mestre de capoeira  Paulo Batuta, aconteceu por oito anos na Garnet Street, a principal avenida da praia de Pacific Beach e, em 2016, passou a ser na área de estacionamento da praia de Mission Beach. Hoje em dia é considerado o maior evento brasileiro “outdoor”  da costa oeste dos EUA. O evento anual em San Diego é, em particular, atrativo pelo “clima” praieiro no qual vemos muitas mulheres de “biquíni top” e muitos homens sem camisa mostrando seus músculos.

Além disso, durante a grande festa ocorre uma série de seminários de danças brasileiras diversas como samba, frevo, afrobrasileira, capoeira e percussão para todos os que quiserem aprender ou se aprofundar na arte e cultura Brasileira, tudo isso por meio do projeto “Tem Que Ter Axé”

O Brazilian Day Japan acontece desde 2006 na Praça de eventos do Parque Yoyogi, em Tóquio. O evento, como todos os “Brazilian Days”, é gratuito e na terra do sol nascente reúne a grande comunidade de brasileiros que vivem no país. “O show é um importante momento em que os brasileiros se encontram para comemorar e celebrar. Eles vão com bandeira e camiseta verde-amarela e matam um pouco da saudade do seu país”, afirmou Serginho Groisman, apresentador da TV Globo e que em 2009 foi o apresentador do evento.

A cada ano um novo local ou cidade fora do Brasil se junta à comemoração do “Brazilian Day” e ajuda a espalhar essa vibração de independência verde e amarela ao redor do planeta. No ano de 2009  foi a vez de Toronto, no Canadá, ter a sua primeira edição atraindo mais de 30 mil brazucas. O Brazilian Day representa mais que uma simples comemoração a independência brasileira. Além de uma oportunidade de amenizar a saudade e a alegria das festas do país, exibir o orgulho de ser brasileiro e desfrutar das comidas e bebidas típicas das mais variadas regiões do Brasil, onevento proporciona viver a sensação de pertencer a uma grande família: a comunidade brasileira.