Por Laís Oliveira

Praia de Icaraí de Amontada

É verdade que a industrialização, a modernidade e a globalização têm trazido ao nosso cotidiano uma série de facilidades e tecnologias capazes de agilizar nossas funções no trabalho e em casa, porém, como desvantagem, vivemos em uma era que nos falta o principal para usufruir de uma vida tranquila: tempo de qualidade. Uma “fugidinha” que seja por um dia ou um fim de semana para um local tranquilo e com o qual você se identifique funciona bem para esse relax e reconexão com o seu eu.

Abaixo selecionamos dez vilas-vilarejos-praias no Brasil que contemplam um número reduzido de habitantes e não deixam que o tempo e os processos industriais e até de modernização arquitetônica cheguem até lá. Vale lembrar que a maioria desses locais não oferece muita infraestrutura e hotéis categorizados e pode não ser uma boa opção para os mais exigentes e adeptos da conveniência e/ou do luxo.

Guarita (Torres). Foto: Aquarius Viagens

Praia da Guarita (Torres, Rio Grande do Sul)

Cartão-postal de Torres, a praia é um resumo perfeito dos encantos da região, combinando enseada e penhascos. Apesar de protegida pelas torres do Meio e do Sul, o mar é agitado e de águas transparentes. Nas areias, porém, o clima é de tranquilidade e convidativo para uma caminhada de sossego. Possui partes com mata nativa preservada, sendo um belo cenário para os amantes da natureza e que gostam de se aventurar.

Praia de Icaraí de Amontada (Amontada, Ceará)

Localizada a 220km de Fortaleza, a praia possui uma boa variedade de pousadas ideais para quem busca tranquilidade. O local abriga, ainda, uma vila de pescadores e o vilarejo de caetanos. Se você procura um destino com ventos fortes, águas cristalinas, dunas, coqueirais e quase sem sinal de celular para dar uma pausa total da vida corrida esse é o lugar perfeito para você!

Trindade (Paraty). Foto: Janelas Abertas

Vila em Trindade (Paraty, Rio de Janeiro)

Trindade é uma vila de pescadores que na década de 70 foi reduto hippie, mas ainda hoje preserva o jeitão meio “flowerpower”. Para quem adora praias lindas e desertas, trilhas, e principalmente, esquecer o carro e fazer tudo isso a pé acompanhado de guia, esse é o lugar. Mas conta com uma boa variedade de hostels, pousadas e campings com paisagens de estilo rústico, que convida a todos para passar um tempo com essa incrível vista.

 

Praia do Rosa (Imbituba, Santa Catarina)

Praia do Rosa. Foto: Temporada Livre

Pequenina, rústica e super charmosa, a Praia do Rosa está entre as baías mais bonitas do Brasil. Mar cristalino, boas ondas e natureza exuberante somado a diversas montanhas da região, onde é possível se aventurar em trilhas e cachoeiras, fazer passeios a cavalo ou apenas curtir o friozinho do inverno. Essa é a escolha ideal seja para aventureiros, casais ou mesmo uma família completa que deseja fugir da correria de uma cidade grande, do trânsito caótico e da poluição sonora diária.

Trancoso (Porto Seguro, Bahia)

Trancoso (Bahia)

Fundada pelos colonizadores portugueses no século 16, foi privilégio de seus poucos habitantes até ser descoberta por hippies nos anos 70. Apesar de a vila ter crescido, a essência de Trancoso, assim como seus principais atributos, continua a mesma. O local, atualmente, é amado por hippies, descolados e também “vips”, já que, por trás do cenário bucólico, a sofisticação também chegou por lá. Lindas praias que convidam seus turistas a andarem descalços, cenários rústicos, calmaria, mas, se preferir, também noites agitadas em alguns pontos da vila. A calma continua no ar, mas agora já mesclada ao jeito de cidadezinha.

Praia de Carneiros

Praia dos Carneiros (Tamandaré, Pernambuco)

Carneiros não é extensa, mas concentra quase todos os atributos de uma praia digna de cartão-postal: coqueirais fazendo sombra sobre a areia clara, mar verde-transparente e piscinas naturais repletas de peixes coloridos. Para completar o cenário, há uma igreja do século 18 bastante conhecida da região e que foi construída bem em frente ao mar.  Curtir um passeio de barco está na lista do que fazer por lá, além de apreciar um pôr do sol único e se desligar da agitação.

 

Vila de São Miguel do Gostoso

Vila São Miguel do Gostoso (Rio Grande do Norte)

Ideal para quem quer descanso, vila de pescadores fica a 100 km da cidade Natal, capital do RN. Com um cenário rústico, de beleza estonteante e muito aconchegante, o local atinge os olhos daqueles que tem a vontade de mesclar sossego com paisagem bonita. Tem cerca de 10 mil habitantes, lindas e tranquilas praias, ruas de terra, uma única igreja, um cruzeiro e um tamarineiro centenário que marca o centro da cidade. Simplicidade e sossego para ninguém colocar defeito.

 

Vila de São Jorge (Chapada dos Veadeiros, Goiás)

 

Vila de São Jorge. Foto: Giovane Paiva

Criado em 1961, o vilarejo tem paisagens de rara beleza e possui formações vegetais únicas. Por lá você poderá ver uma das formações geológicas mais antigas do planeta, rochas com mais de um bilhão de anos, além da reserva ecológica do cerrado com belíssimas cachoeiras, canyons, minas de cristal e flora e fauna incríveis. O local virou um destino místico para mochileiros, artistas, aventureiros, hippies e intelectuais. Não importa a tribo, porque o ambiente proporciona uma convivência pacífica e harmônica entre pessoas de todos os cantos do mundo.


Vila de Santo Amaro (Maranhão)


A vila é uma entrada alternativa para os famosos Lençóis Maranhenses e fica encravada nas dunas abrigando belíssimas lagoas pouco exploradas. A da Gaivota, uma das maiores da região, de água azul-turquesa e cercada por montes de areia fininha cuja profundidade chega a 2,5 metros e o convite ao banho é irresistível. Um pouco mais adiante, uma série de lagoas conhecidas como Emendadas são um deslumbre. E ainda tem a lagoa de Betânia, explorada em passeio que leva o dia inteiro. Dunas à parte, a vila é simples e o sossego é garantido.


São Miguel dos Milagres (Alagoas)


Um lugar que parece ter parado no tempo pela preservação da natureza. Um mar azul piscina, límpido, calmo e raso, mas tão raso quando a maré está baixa que você pode caminhar por longas distâncias e a água estará em seu joelho no máximo. Em São Miguel dos Milagres, o máximo que você poderá ver de interferência humana na paisagem são algumas armadilhas para pegar peixes e barcos de pescadores locais e casas simples. A região que envolve a praia é bem tranquila e possui alguns comércios, mas nada que transforme o lugar em um point procurado pelos turistas da região, e aí está o sossego. Você se sente em um paraíso que quase não é visitado em grande escala, exceto em dezembro, próximo às festas de fim de ano.