Para a maioria das pessoas, a quarta-feira de cinzas finaliza o carnaval oficialmente. Quem viajou dias antes geralmente volta para casa na quarta, muitos descansam para se recuperar e outros já voltam com a rotina normal de trabalho. Para outros, a folia carnavalesca continua e há, em diversos lugares do Brasil, blocos de rua que continuam a festa na quarta de cinzas.

Para os católicos, a quarta-feira pós-carnaval não é apenas o dia que finaliza a festa, mas sim é o primeiro dia da Quaresma no calendário Católico. As cinzas que os Cristãos Católicos recebem neste dia são um símbolo para a reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a transitória e frágil vida humana.

Ela ocorre quarenta dias antes da Páscoa (sem contar os domingos) ou quarenta e seis dias (contando os domingos). Seu posicionamento no calendário varia a cada ano, dependendo da data da Páscoa. A data pode variar do começo de fevereiro até a segunda semana de março.

Mas para quem não segue essa tradição, a festa carnavalesca continua, seja em casa com a família e amigos ou nas ruas com blocos super animados que agitam várias cidades brasileiras. Muitos blocos “sobreviventes” escolhem propositalmente o dia de quarta-feira de cinzas com o intuito de brincar com a ideia de um bloco fora do período oficial do carnaval. O foco é atrair foliões que ainda estão no pique e não pretendem descansar na quarta.

No Rio de Janeiro, por exemplo, mais de 50 blocos desfilam da quarta-feira (06) de cinzas até o domingo (10). Entre eles, o bloco Filhos da PUC tem público estimado de 5 mil pessoas, no Leblon, na zona sul da cidade. Já o Me Enterra na Quarta, em Santa Teresa, na zona sul, e espera mobilizar 4 mil pessoas. Entre a sexta e o domingo, estão previstos cerca de 40 blocos, entre eles o das Poderosas, que espera reunir 300 mil pessoas na manhã de sábado (09).

Já no Distrito Federal, da quarta-feira (06) até o domingo (10) serão 13 blocos desfilando pelas ruas. Em Minas Gerais ao menos 3 blocos fazem a festa para os foliões que ainda estão cheios de energia. . Em Olinda, os blocos esticam a folia desde cedo, às 8h e indo até 0h da quarta-feira de cinzas.

Duas das agremiações do dia, famosas em todo o nordeste, o Bacalhau do Batata e o Bloco do Case, foram criados por profissionais que trabalham durante a Folia de Momo em Olinda e, por isso, não podem aproveitar a festa e, portanto, só têm a quarta-feira ingrata para cair no passo.

Como o carnaval é uma data democrática, tem folia para todo tipo de público, do que se cansa rápido ao que tem pique durante uma semana sem parar. Para os que preferem descansar e ficar longe dos blocos, basta aproveitar bem os dias de folga para relaxar.

Facebook Comments

Share This