Time de rúgbi feminino. Ezra Shaw/Getty Images

Time de rúgbi feminino. Ezra Shaw/Getty Images

Os jogos Pan-americanos de 2015 acabaram no último domingo (26). O Brasil encerrou sua participação em Toronto, no Canadá, na terceira colocação no quadro de medalhas. Em 16 dias de competições, o país conquistou 141 medalhas, sendo 41 ouros, 40 pratas e 60 bronzes. A última chegou com o vôlei masculino, que ficou na segunda posição do pódio, ao perder para a Argentina a final por 3 a 2.

Esportes em que os brasileiros sempre apostaram decepcionaram. Com só um ouro (de Juliana dos Santos nos 5,000 metros), o atletismo teve um dos piores Pans de sua história – como comparação, em 2011 foram dez de ouro. O judô repetiu o número de medalhas (13), mas conquistou um ouro a menos (6 a 5). A vela levou um tombo maior: de 5 ouros foi para 2 títulos pan-americanos no Lago Ontário. O vôlei também caiu bem. Foi o preço de jogar sem suas equipes principais. Há quatro anos, ganhou tudo na quadra e também na areia. Desta vez, passou em branco no topo do pódio. O futebol masculino fez uma campanha abaixo do esperado e acabou ficando com o bronze. Já o time feminino, trouxe o ouro  de Toronto e se consagrou tricampeã da modalidade.

Por outro lado, o país ganhou em modalidades em que nunca tinha brilhado antes. Foram, por exemplo, três ouros na canoagem – dois do fenômeno Isaquias Queiroz. Há quatro anos, não ganhou nenhuma prova na modalidade. No tênis de mesa, o país dominou o pódio masculino, vencendo por equipes e ocupando os três lugares no pódio, com ouro de Hugo Calderano, prata de Gustavo Tsuboi e bronze de Tiago Monteiro. No tiro, foram três ouros, com duas performances notáveis, de Felipe Wu e Cássio Rippel. Sem contar os três ouros do caratê e o inesperado título de Marcelo Stuartz no boliche.

O grande destaque brasileiro em Toronto foi a natação. A modalidade conquistou 26 medalhas para o país (dez ouros). No total, 32 esportes diferentes trouxeram medalhas, enquanto 13 não obtiveram o mesmo sucesso e ficaram zerados.

No masculino os destaques individuais foram os nadadores Thiago Pereira (três ouros, uma prata e um bronze) – novo recordista de medalhas dos Pan-Americanos, ultrapassando o ex-ginasta Erick López, de Cuba – e João de Lucca (três ouros), além de Isaquia Queiroz, da canoagem (duas dourada e uma prata). No feminino, Etiene Medeiros, (um ouro, uma prata e duas bronzes) fez história ao conquistar primeiro ouro da história da natação feminina.

Mais uma vez, o campeão de Toronto foi os Estados Unidos (265 medalhas – 103 ouros), porém, ao contrário do que foi em Guadalajara, a segunda colocação ficou com os canadenses (217 medalhas – 78 ouros), donos da casa. Cuba, vice em 2011, foi quarta (97 medalhas – 36 ouros).

Fonte: uol

Facebook Comments

Share This