A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas expulsou Bill Cosby e Roman Polanski de seu quadro de membros. O anúncio foi realizado em uma nota à imprensa divulgada nesta quinta-feira (03). Os dois nomes envolvidos em casos de abuso sexual sofreram a mesma punição que o infame produtor Harvey Weinstein, acusado de assédio sexual por dezenas de mulheres, recebeu ao ser expulso da Academia em outubro de 2017.

De acordo com a nota divulgada por um conselho da Academia, instituição responsável pela organização do Oscar, maior prêmio da sétima arte mundial, a medida contra Cosby e Polanski “obedece aos Padrões de Conduta” da instituição. “O conselho continua a encorajar padrões éticos que exigem que os membros se enquadrarem nos valores de respeito pela dignidade humana observados pela Academia”.

Depois de décadas de acusações, Bill Cosby foi condenado pela primeira vez em abril deste ano pelo crime de drogar e estuprar uma mulher em 2004. Com acusações que vão da década de 1960 até o século XXI, Cosby já foi acusado de estupro e abuso sexual por mais de 50 mulheres e passou décadas negando as alegações. Vencedor de dois prêmios no Globo de Ouro, Cosby nunca foi indicado ao Oscar. Apesar de acumular trabalhos nos cinemas, foi na TV onde o humorista fez carreira e se tornou uma das figuras mais notáveis da cultura americana por conta do seriado The Cosby Show (1984 – 1992).

Cinco vezes indicado ao Oscar — sendo vencedor da estatueta de melhor direção por O Pianista —, Polanski foi preso e condenado por ter estuprado Samantha Geimer, uma menina de 13 anos em 1977. O realizador foi acusado de estupro com uso de drogas, perversão, sodomia, atos libidinosos com uma criança com menos de 14 anos, e de ter fornecido drogas controladas a uma menor de idade.

Depois de ter entrado em um acordo com o advogado da vítima, o diretor assumiu a culpa por abusar sexualmente de uma pessoa menor de 18 anos e a defesa desistiu das demais acusações. O cineasta deveria ter cumprido uma curta pena nos Estados Unidos, mas fugiu para a França, onde vive atualmente.