Por Fabienne Lopez

O poder da palavra é enorme, portanto. Elas não são inócuas. A Bíblia afirma “No início era o verbo”, (João,1:1). Pela palavra, Deus realizou a sua obra, criando tudo que existe. Ainda hoje, o verbo define nossa relação com o mundo. Então, está na hora de sermos responsáveis ao falar. Usamos palavras o tempo todo e raramente pensamos no que dizemos e como falamos. Como prestamos pouca atenção à nossa escolha de palavras, a maioria de nós fala muito de maneira negativa.

Quantas vezes por dia, começamos uma frase com a palavra não. Ao mesmo tempo, você já reparou como temos dificuldade em receber um elogio que não seja em datas especiais, com horário marcado ou até nos olharmos no espelho de manhã e nos elogiarmos.As palavras tem poder? Duvida? Pois então, lembre-se da última vez que ouviu uma história que o comoveu, lembre-se de hoje de manhã, quando estava cantarolando debaixo do chuveiro. Melhor ainda, pense na palavra “saudade”. Difícil de traduzir, mas que, todos nos sabemos exatamente as emoções que ela provoca: da comidinha caseira da mãe ao primeiro beijo do namorado.

Elas mexem com a gente e com elas fazemos pessoas felizes, fazemos sofrer, trazemos satisfação, magoamos, acariciamos, alegramos, damos prazer, consolamos, geramos raiva, incutimos medo, produzimos pensadores e pensamentos, inibimos o surgimento de novas idéias, tolhemos a criação de um momento.

A maioria dos conflitos, brigas, discussões ocorre pelo uso indiscriminado da palavra. ”Falei sem pensar”. “Não foi isso que eu quis dizer”. Fala-se muito, agride-se, critica-se. Por exemplo, muitas vezes usamos a sinceridade como agressão, sem nos atermos aos fatos em si. É muito diferente dizer “Você está” de “Você é”.

Consequentemente procure ver se você está utilizando as palavras como arma com os outros e com você mesmo. E não permita nenhuma coisa nem outra. Ao contrário, use e abuse das palavras que animan, que dão alento, esperança, pois o ser humano é movido ao elogio. Empregue aquelas que nos dão a oportunidade de dizer a alguém como ela nos é importante, o tamanho do nosso amor.

Vamos refletir sobre como, todos os dias, construímos nosso futuro através da nossa fala. Na mitologia é o deus da comunicação e da eloquência, mensageiro principal de Zeus com os mortais. No sistema solar ele se situa entre o Sol e todos os outros planetas, é portanto, simbolicamente, o elo que liga o nosso “Eu” consciente tanto ao mundo interno como externo. Representa a inteligência, a comunicação, as trocas, a maneira que você possui de informar-se e expressar-se. Ele está associado aos trabalhos do intelecto como escrever, ensinar e aprender.

Mercúrio Retrógrado causa mal entendido e “ruídos” nas comunicações. De um modo geral, nesses períodos, parece que as coisas “não andam”. Atrasos, adiamentos, enganos, esquecimentos, demoras ocorrem com frequência. Aquele projeto que estava para sair volta para a gaveta. A notícia tão esperada não chega. Acontecem imprevistos que atrasam a assinatura daquele contrato. Para diminuir os efeitos da “retrogradacão” sempre revise, com calma, papéis e documentos, checando com atenção as informações e dados, verificando que estão corretos.

Mas não pense que Mercúrio retrógrado seja uma coisa ruim. Não é. Pelo contrário, três vezes ao ano, você tem a oportunidade de revisar e aprimorar as coisas, pesquisar, planejar, organizar, concluir o que já foi iniciado e até, mesmo, voltar atrás em alguns assuntos. Portanto, aproveite para ficar em dia com a papelada, pesquisar um projeto a fundo, marcar uma reunião para trocar informações, etc… Para finalizar, proponho um exercício bem mercuriano. Faça uma lista das suas palavras favoritas, aquelas que o fazem pensar, amar, sorrir, ser solidário. Quando escutar uma da qual goste, acrescente ao seu vocabulário cotidiano.

* Fabienne Lopez é uma astróloga brasileira que reside a vários anos na área da baia de São Francisco. Ela foi uma colaboradora frequente da Soul Brasil magazine durante dois anos, entre os anos de 2005 e 2006 – Fabienne_at_astro-brasil.com

Share This