A Ford concordou em pagar US$ 299,1 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão) em indenizações nos Estados Unidos ainda a respeito dos airbags defeituosos da Takata. O montante servirá para cobrir perdas econômicas referentes a seis milhões de veículos no país. A decisão foi tomada por um tribunal em Miami e ainda vai ser aprovada pela justiça norte-americana.

Seis fabricantes já fecharam acordos semelhantes que somam cerca de US$ 1,2 bilhão (R$ 4,8 bilhões). Honda, Toyota, Nissan, Mazda, Subaru e BMW irão indenizar proprietários de milhões de unidades envolvidas. O recall foi o maior da história automobilística relacionado à segurança, envolvendo 100 milhões de unidades de 19 fabricantes produzidas em todo o mundo.

As perdas descritas no processo da Ford estão ligadas a cuidados médicos referentes a acidentes relacionados ao problema, e qualquer outro gasto para que os veículos fossem reparados. O processo também prevê que a empresa ceda carros reserva para os proprietários enquanto providencie a troca das peças defeituosas.

A falha nos dispositivos produzidos pela empresa japonesa Takata há anos faz com que o airbag abra com muita força em caso de acidente e, na maioria dos casos relatados, exploda. Com isso os estilhaços do dispositivo já provocaram perfurações em todo o rosto, perda de visão e centenas de acidentes aos motoristas.

O problema do airbag está na vedação do insuflador, onde fica o gás o faz ser acionado. A peça pode trincar e a exposição à umidade também pode alterar o gás. O insuflador (que tem peças metálicas) se parte e seus pedaços são atirados contra os ocupantes dos veículos. Até por isso, os ferimentos de algumas vítimas foram confundidos com facadas ou tiro.

Pelo menos 23 mortes estão ligadas aos insufladores problemáticos. O defeito acentuou os ferimentos em acidentados e causou as mortes. Foram 21 fatalidades em modelos da Honda e duas em Fords. Também foram registrados 290 feridos ao redor do mundo. Estima-se que cerca de 30 milhões de carros ainda rodem nos Estados Unidos sem os reparos devidos.

A Takata foi considerada culpada e condenada a pagar uma indenização de US$ 1 bilhão. A pena levou a fabricante à falência e à compra pela Key Safety Systems por US$ 1,6 bilhão. A Takata passou a se chamar Joyson Safety Systems e é uma subsidiária da chinesa Ningbo Joyson Electronic Corp.

A justiça americana e o NHTSA, principal órgão de segurança viária dos EUA, estão pressionando as fabricantes para que cobrem da Takata a substituição de todos os air bags defeituosos no menor tempo possível.