O que será que os moradores do Rio de Janeiro gostariam de mudar na cidade? Essa é a pergunta que a instalação “Hackeando Meu Rio”, que faz parte da exposição Rolé pelo Rio Hackeado, faz aos cariocas. A mostra, que ficará em cartaz até o dia 30 de abril no Museu do Amanhã, propõe o empoderamento das cidades por pessoas inquietas, chamadas
de hackers.

A interatividade é a proposta da instalação que pretende melhorar a cidade do Rio de Janeiro ouvindo quem efetivamente mora na região. No Museu do Amanhã, o visitante é convidado a apontar o bairro que ama e a escolher até três elementos que gostaria de mudar, na perspectiva de iniciativas cidadãs de ocupação urbana. Por fim, observa a projeção com os desejos para o local eleito.

Lá dentro é criada uma experiência coletiva. Há um estímulo ao envolvimento ativo com a cidade e, ao mesmo tempo, é reforçado o vínculo afetivo entre os participantes que visualizam desejos semelhantes, é o que conta a diretora Barbara Castro.

Mas afinal quais são as preferências dos cariocas? Até então, festas, opções de lazer, arte, ciclovia e lugar para se refrescar são as principais preferências de mudança para o futuro da cidade.

Os bairros com mais interações são Barra da Tijuca, Copacabana, Tijuca, Jacarepaguá, Campo Grande, Botafogo e Ipanema. Das 13.677 participações contabilizadas até o final de janeiro, em 17% foi escolhida a Barra da Tijuca, em 10% Copacabana e em 7% a Tijuca.

Na Barra, a visualização de dados aponta 1.180 desejos para mais festas, 722 para mais opções de lazer e 402 para arte. Em Copacabana, 659 optaram por mais festas, 470 por mais opções de lazer, e 255 por lugar para se refrescar.

Ciclovia está apontada como demanda de 2.276 interações, sendo 14% para a Barra, 9% para a Tijuca, 7% para Copacabana e 5% para Jacarepaguá. Foram 1.711 desejos para mais hortas comunitárias. Essa demanda foi apontada por 34% dos participantes do Jardim Botânico, e 26% de Laranjeiras.

Se você é do Rio de Janeiro e ainda não fez uma visita ao Museu do Amanhã, anota aí:

O quê? Hackeando Meu Rio é uma instalação interativa com visualização de dados sobre
os desejos para o futuro da cidade. Um dos espaços apresentados na exposição Rolé pelo
Rio Hackeado.
Onde? Museu do Amanhã – Praça Mauá, 1, Centro, Rio de Janeiro, RJ.
Até quando? Até o dia 30 de abril de 2017.
Dias e horários: Terça a domingo, das 10h às 18h (com a última entrada às 17h).
Quanto? R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Às terças, a entrada é gratuita.

Facebook Comments

Share This