Gabriel Medina no Pipe Master na quinta-feira (13). Foto: Ed Sloane/WSL

Após quatro dias de atraso devido aos ventos e mau tempo, finalmente teve início na quarta-feira (12), em Pipeline, no Havaí, a última decisiva etapa do Mundial de Surfe de 2018. Depois de muita ansiedade e espera, o mar apresentou boas ondulações e condições para que a etapa fosse iniciada.

O World Surf League Championship Tour, em Pipeline, começou com a triagem dos 32 surfistas que disputam as vagas para as baterias dos três concorrentes ao título mundial, Gabriel Medina, Filipe Toledo e Julian Wilson.

Na quinta-feira (13), o atual líder do ranking e favorito ao bicampeonato mundial, Medina, estreou bem na última etapa do Circuito derrotando o australiano Connor O’Leary e o havaiano Benji Brand, avançando direto ao round 3. Com 56,190 pontos na temporada, o paulista de Maresias só pode ser ultrapassado por Julian Wilson e Filipe Toledo. Desses apenas o australiano venceu no round 1. Derrotado por Matt Wilkinson, da Austrália, Filipinho terá de vencer o havaiano Benji Brand na repescagem (round 2) para seguir com chances. O round 1 segue em andamento. Após o término da primeira fase, a WSL interrompeu a competição e vai realizar nova chamada nesta sexta-feira.

A primeira onda da bateria de Gabriel Medina foi um 3.67 de Connor O’Leary. O paulista, por sua vez, respondeu com um 5.50, assumindo a liderança com autoridade. Aproveitando uma série, o australiano pulou na frente após um 4.17. Foi a senha para o camiseta amarela começar a demonstrar todo o seu repertório de manobras. Após uma sequência de aéreos, Medina levou um 5.77, retomando a dianteira do confronto.

Se Medina for até a semifinal, tanto Julian Wilson quanto Filipe Toledo precisam conquistar o Pipe Masters para serem campeões mundiais. Caso fique em quinto, nono, 13º ou 25º, o paulista de Maresias precisa torcer para que nenhum dos dois concorrentes chegue à final.

Realizado na praia de Pipeline, localizada na costa norte da ilha de Oahu, no Havaí, o Pipe Masters 2018 será realizado durante dez dias de provas e atrairá centenas de pessoas que irão ver de perto seus ídolos e campeões do surfe.

Em 2017, o Pipe Masters teve vitória do francês Jeremy Flores. Mesmo vencendo em Pipeline, o título mundial de 2017 ficou com o havaiano John John Florence, também campeão em 2016. Os brasileiros Gabriel Medina e Adriano de Souza foram campeões em 2014 e 2015, respectivamente. Medina e Mineirinho são os únicos brasileiros até hoje a vencerem o tour mundial.

Facebook Comments

Share This