Por Lindenberg Junior
li-61-calexit-logo-2-620x403Com cartazes com a frase “Não és meu presidente”, passeatas de protestos contra a vitória de Donald Trump tomaram as ruas de várias cidades da Califórnia assim como em outros estados. Em Los Angeles, os ativistas saíram às ruas pela segunda noite consecutiva e, dessa vez, houve distúrbios e enfrentamento com policiais do LAPD (Departamento de Policia de L.A) quando um protesto gigante tomou conta de parte do centro da cidade e tentou bloquear a Freeway 101, conhecida como Freeway Hollywood.

Pelo menos 38 pessoas foram detidas nas regiões de Los Angeles e Orange County entre a noite da quarta-feira (09) e a madrugada de quinta-feira (10) em consequência dos distúrbios. Da passeata que tomou conta da Freeway 101 em Los Angeles e que se estendeu até a madrugada da quinta, 28 pessoas foram detidas segundo dados do LAPD. O tráfego nessa importante Freeway ficou parado por mais de 3 horas. A polícia de Orange County reportou ainda na quinta-feira mais 10 detenções durante os protestos na cidade de Santa Ana, e que tem predominância latina.

As autoridades do Sul da Califórnia estão preocupadas já que parte dos protestos tem tomado proporções violentas com atos de vandalismo. Alguns pequenos negócios no centro de Los Angeles e também em Santa Ana foram fechados, pois seus proprietários temem ser afetados durante as manifestações. Depois da vitória de Donald Trump, um movimento chamado “CalExit”, que incentiva a independência o estado da Califórnia em relação à união americana para se tornar um país soberano, ressurgiu e voltou a ser tema de preocupação para uns e alternativa para outros.

“Se Donald Trump é a cara dos Estados Unidos, então nós precisamos de outra cara para a Califórnia”, disse o principal promotor da campanha, Louis Marinelli, um residente de San Diego.  O movimento separatista ressurgiu em consequência, em parte, dos resultados  das urnas no estado, com apenas 33.3% dos votos favorecendo  Trump e uma contundente porcentagem de 61.5% a favor de Clinton. Na quarta-feira (9), um grupo de investidores do setor tecnológico do Silicon Valley respaldou o movimento “CalExit” e a campanha “Yes California” que busca levar o tema a referendo.

 

Facebook Comments

Share This