Diante um período de muitas demissões e principalmente forte concorrência no mercado de trabalho nos Estados Unidos (e em outros países), uma boa alternativa é planejar uma estratégia para trabalhar por conta própria, seja como designer, escritor, personal trainer, entre outros. Automotivação, disciplina e networking são características-chave para freelancers e para quem trabalha de casa. Se você não sabe como começar, aqui você encontrará algumas dicas e sugestões.

Nosso primeiro conselho para começar a trabalhar sozinho ou como freelancer é desenvolver um portfólio. Pode ser um site básico de uma a três páginas que pode incluir suas informações de serviço detalhadas, seu currículo ou experiência e também as referências de seus clientes. Se você ainda não tem essas referências, uma boa ideia para começar a construi-las é oferecer seus serviços com um bom desconto ou até mesmo de graça (dois ou três clientes ou empresas é suficiente) em troca de seu depoimento positivo acerca do seu trabalho.

Se você pretende ter um site e quer aproveitar ao máximo essa ferramenta, precisará de um serviço de SEO (Search Engine Optimization), já que seu novo site leva um certo tempo para ficar bem posicionado nos mecanismos de busca. Como plano B, você pode começar com uma página no Facebook, mas sempre tenha em mente que um site é algo mais profissional e você deve considerar ter um, nem que seja mais tarde.

Você também pode começar um blog e escrever ou dar dicas dentro de sua área profissional. O conteúdo ajudará no que diz respeito a SEO e, melhor, você pode ser notado pelo público como um especialista no assunto. Os blogs se tornaram mais do que apenas diários pessoais e hoje são excelentes ferramentas de comunicação, especialmente para os profissionais que demonstram seus conhecimentos.

Também não perca a oportunidade de criar um perfil no mais importante site de “redes de negócios”: o LinkedIn. Um dos canais favoritos da rede é a seção de Perguntas e Respostas, que conecta profissionais e fornece estratégias de marketing para melhorar seus esforços de divulgação. Precisa de um impulso para criar seu perfil do LinkedIn ou revitalizar seu perfil já existente? Então cheque Kisuccess, o nosso site com foco em marketing e negócios, serviços e produtos.

Um número crescente de possíveis clientes ou “empregadores temporais” gostam da ideia de acessar trabalhadores talentosos que podem não estar disponíveis localmente, mas podem fornecê-los suporte e ajuda fora do expediente, como um trabalho mais informal. Além do mais, eles lançam mão de freelancers para reduzir despesas gerais em seus negócios, fique atento. Com a internet e a nova era digital, você consegue localizar potenciais clientes ou empregos através de diferentes recursos, sejam gratuitos ou pagos. Com certeza, a coisa mais básica que você pode fazer para começar é criar uma rede de contatos, o famoso “networking”.

Use o Facebook inclusive com fins de marketing, mas, neste caso, seja inteligente e não abuse do spam. Postar bom conteúdo é sempre uma boa estratégia. Alinhe-se a muitas empresas e marcas diferentes interagindo com as páginas de fãs existentes no Facebook ou criando uma para você do zero, como mencionado acima. Fotos e vídeos em uma conta comercial do Instagram ou mesmo em uma conta pessoal são ótimas táticas para conseguir seguidores e associar você e seus produtos e serviços. Da mesma forma pode ser feito também com o Pinterest.

Se você quer atuar como freelancer, existem alguns sites dedicados a conseguir trabalhos desse tipo. Muitos deles trabalham em leilão reverso; ou seja, você faz um lance nos trabalhos para ver se os consegue – a desvantagem é que os preços para o trabalho podem diminuir. Inicialmente eu sugiro três sites como boas ferramentas:

1) Upwork – para profissionais de alta qualidade – entre 2017 e 2018 o Upwork adquiriu o Elance e também o oDesk e é possivelmente um dos maiores marketplaces para projetos e oportunidade para freelancers. Existe uma ampla variedade de categorias, mas a parte de novas tecnologias tem destaque maior.  Também tem projetos de prazo mais curto, projetos de longo prazo, e projetos de alto nível para especialistas. É interessante dizer que, desde 2018, inclui uma plataforma de bate-papo em tempo real que visa reduzir o tempo para encontrar e contratar freelancers.

2) Outra ferramenta é o Guru. O site ainda é uma das melhores opções para encontrar emprego e projetos para freelancers. Eles têm um processo de contratação muito simples e, portanto, é muito fácil para os clientes contratarem qualquer pessoa. Você não vê tantos freelancers se comparado com o upwork, o que o torna menos competitivo. Interessante dizer que o site possui o recurso “Work Room”, o que facilita muito o gerenciamento de todos os trabalhos.

3) Já o Freelancer (antigo GetAFreelancer) é um marketplace bastante grande e possivelmente o segundo melhor depois do Upwork – que diz ter “mais de 4 milhões de clientes”, já que afirma ter “milhões de pequenas empresas fazendo uso de sua plataforma”. A diferença deve ser que, com o Freelancer, você vê mais trabalhos postados por clientes de clientes (terceiros), e não por clientes diretos.

Os sites e plataformas mencionados acima tem predominância do uso do idioma em inglês, mas  você pode encontrar clientes e freelancers de vários países ao redor do mundo, sendo a maioria residentes dos Estados Unidos.

Facebook Comments

Share This