By Lady Rainbow / Tradução: Leandro P. Saueia

Um número cada vez maior de pessoas está mudando para outras práticas de cura que não a Alopática Ocidental. Quais as razões por trás dessa troca? Existem várias. Muita gente se sente frustrada ao ouvir de seus médicos que elas estão “bem” de acordo com os seus gráficos e testes mas, ao mesmo tempo, essas pessoas sentem que alguma coisa não está Ok. Elas então buscam em todo lugar por alguma resposta para descobrir o que os aflige.

Existem aqueles que acham a Medicina Ocidental por demais invasiva e que os médicos não pensam duas vezes em puxar seus bisturis e já começar uma cirurgia. Muitos também acham que os efeitos negativos dos remédios caros comprados na farmácia são maiores que os seus benefícios. Muitos estão cansados de se sentirem como “gado”, ao serem levados para dentro e para fora do consultório, e saírem de lá com a impressão de não terem sido ouvidos com a devida atenção por seus médicos. E, finalmente, está cada vez mais difícil conseguir pagar um plano de saúde.

Que tal então experimentar algumas alternativas à medicina ocidental?

Acumputura

A que mais cresce nesse momento é uma forma de medicina tradicional da China conhecida como Acupuntura. Mas falar somente das agulhas é limitar por demais o alcance do que um acupunturista pode fazer. A Acupuntura é muito mais do que ser aleatoriamente espetado como se uma boneca vodu. É também olhar para o seu corpo como um todo, e não apenas nos sintomas localizados. Um acupunturista deve aprender sobre o corpo humano não apenas em seu lado físico, mas também em um nível mais profundo, estudando os canais de energia do corpo, os chamados “meridianos”.

Essa perspectiva do “corpo como um todo” é o principal diferencial entre as medicinas do Ocidente e do Oriente. Outros componentes usados na medicina tradicional da China incluem ervas, a ventosa (o ato de trazer sangue à superfície através da utilização de recipiente de vidro evacuado pelo calor), a moxa e a massagem Tui-na, que é bastante semelhante a uma massagem profunda ( a chamada deep-tissue massage).

A Acupuntura pode ajudar a curar uma enorme gama de problemas, tais como dores de cabeça, acne, problemas de digestão, diabetes, infertilidade, dores nos ombros, costas, pescoço e muito mais. Eu mesma vi a Acupuntura curar uma amiga minha com o menisco rasgado, poupando-a de uma iminente cirurgia no joelho. A técnica já foi usada até como alternativa às cirurgias cosméticas e ao implante de botox; esse tratamento é geralmente chamado de “rejuvenescimento facial”.

Naturopatia

Outra alternativa é a Naturopatia. Um doutor Naturopático, assim como um doutor alopático, frequenta a faculdade de medicina por quatro anos. Eles podem realizar pequenas cirurgias caso se façam necessárias. Mas o percurso de estudo deles é um bocado diferente do feito pelos alopatas. O foco deles é na prevenção mais do que no tratamento dos sintomas. Um Naturopata pode também acrescentar outras modalidades em suas práticas, e com freqüência eles fazem isso. Entre essas modalidades se destacam a Acupuntura, Medicina Botânica, a Ayurveda e a Obstetrícia.

Outras Modalidades de Cura

Existem outras modalidades como a medicina popular, a massoterapia, o trabalho com a energia, a quiroprática, as terapias nutricionais alimentares e com ervas entre outras. Essas categorias podem ser divididas em muitas outras subcategorias como a massagem Ayurvédica, Unani Tibb, Jamu, Cura pelo método Maia, N.A.E.T. (Nambudripad’s Allergy Elimination Techniques ou Técnicas Nambudripad para a Eliminação de Alergias), Osteopatia, Naprapatia, Homeopatia, Aromaterapia, Reiki, Cromoterapia, Shiatsu, Rolfing (ou Método Rolf de Integração Estrutural), e as essências florais, para falar de apenas algumas delas. Praticar exercícios que trabalham a mente e o corpo como a Ioga, o Tai Chi, o Chi-Gung e várias outras artes marciais é também uma boa maneiras de prevenção de problemas futuros.

Psicologia

Apesar de não ser necessariamente uma terapia “alternativa”, a psicologia pode ser considerada uma alternativa à medicina padrão já que ela tenta descobrir que tipo de emoções e padrões de pensamento podem estar despertando uma dor física. A autora Louise L. Hay é uma grande defensora da ideia de que nossas emoções e pensamentos podem desencadear vários problemas de ordem física, de uma simples artrite até o câncer. Existem várias formas de psicoterapia, que vão muito além da tradicional “terapia de conversa”, como a terapia de movimentos, a terapia por meio da arte, a gestáltica, a transpessoal e a terapia humanística. Fora da psicologia existem os xamãs, conselheiros espirituais, e orientadores de vida, cujo trabalho também podem ser benéficos para a saúde mental, espiritual e emocional.

O lado negativo

O lado negativo da maioria destas modalidades é que elas precisam ser pagas do próprio bolso de quem deseja beneficiar-se das práticas. Isso pode tornar-se muito caro, já que geralmente, várias consultas são necessárias para se obter o resultado esperado. De qualquer forma, os benefícios a serem conquistados podem muito bem compensar o longo tratamento. Outro ponto positivo, é que cada vez mais certas companhias de seguro estão dispostas a arcar com as despesas para esse tipo de tratamento, em particular com a acupuntura, já que elas custam para essas empresas menos do que os tratamentos convencionais com a Medicina Ocidental.

Outro ponto negativo diz respeito à licença de trabalho. Nem todos os Estados reconhecem esses diversos tratamentos alternativos. Isso significa que é preciso tomar cuidado com quem se irá escolher para iniciar um tratamento, já que existe um grande número de pessoas que não entendem do assunto e estão nessa provavelmente apenas pela grana. Infelizmente, são casos como esses que dão ao campo da Medicina Alternativa um nome ruim e leva aqueles que são dedicados e sinceros em seu trabalho de ajudar aos outros de serem tachados de “charlatões”.

O Futuro

Muitas dessas modalidades sobre as quais acabamos de dar uma rápida olhada, são muito mais antigas que a Medicina Alopática Ocidental. De qualquer forma, nada do que foi dito deve ser entendido como uma defesa a favor do abandono completo da Medicina Ocidental. De fato, a medicina integrada é a onda do futuro e estamos vendo mais e mais consultórios médicos do Ocidente abraçando não apenas a Acupuntura, mas outras alternativas que tratam da Mente e Corpo como um todo. Já existem alguns hospitais que incluem tratamentos alternativos entre os serviços oferecidos aos seus pacientes.

Entre esses estão a Venice Family Clinic e o St. Johns Riverdale Hospital em Yonkers, Nova York, que incluiu a Acupuntura Auricular em seu programa para a desintoxicação de viciados em drogas. Médicos que seguem a linha Ocidental como Deepak Chopra, Christiana Northrup e Andrew Weil escreveram sobre o valor da medicina alternativa, promovendo assim a popularização e a consciência para alternativas da medicina Oriental. Eu acredito que nós veremos cada vez mais a integração da medicina durante o nosso período de vida.

Facebook Comments

Share This