Por Rita de Cassia Cerqueira

Em uma recente visita a São Paulo, Brasil, nosso editor Lindenberg Junior esteve pela primeira vez participando de um workshop sobre Massagem Tailandesa. Na ocasião, ele teve a oportunidade de conversar com a facilitadora e educadora Sônia Imenes. Aqui vamos aproveitar para conhecer um pouco mais sobre essa milenar pratica terapêutica e sua funcionalidade.

A Massagem Thai ainda é pouco conhecida no ocidente, entretanto, em suas origens, ela é sagrada e é tida como o pilar da medicina tradicional tailandesa junto com a aplicação de ervas medicinais e a prática da meditação.

Considerada como um “Sopro de Luz da Mente de Buda”,a Thai Massagem é uma técnica milenar praticada nos templos budistas da†Tailândia. Suas origens remontam há mais de dois mil e quinhentos anos, com os ensinamentos de Shivago Komarpaj, tido como o pai fundador da medicina oriental e contemporâneo de Buda, conforme nos contam os textos sagrados escritos em folhas de palmeiras na língua Pali.

Elementos trazidos do Yoga e do Taoísmo conferem à Thai Massagem uma peculiaridade única: o ritmo harmonioso e lento, os alongamentos com pressões gradativamente mais profundas e o espírito de compaixão que induz à canalização da energia da cura, proporcionam um estado de relaxamento profundo e meditativo. Corpo e mente se harmonizam através de suaves balanços, que mais parecem uma dança harmoniosa, compondo uma mandala viva em movimento.

Seus efeitos são profundos, atuando desde o nível da estrutura e forma física até os planos energéticos mais sutis. Em entrevista exclusiva ao editor da Soul Brasil, a terapeuta Sônia Imenes esclarece algumas curiosidades sobre a massagem tailandesa. Confiram:

Soul Brasil: Temos visto ultimamente vários anúncios, comentários e artigos sobre a massagem tailandesa, mas antes não era um assunto tão abordado pela mídia e pela sociedade. Na sua opinião, por que só agora está se difundindo globalmente?

Sônia Imenes: Eu acredito que as coisas acontecem no tempo certo. Há uns 20 ou 25 anos quase não se ouvia falar de massagem e sua prática era um tabu, assim como também acontecia com outras terapias corporais. As pessoas ainda tinham muita dificuldade de se deixarem tocar.

Foi quando começamos a ouvir falar em Shiatsu e foram introduzidas as primeiras noções sobre a medicina oriental. De lá para cá, muita coisa mudou e as pessoas começaram a buscar novos valores, novas referências, novos significados para suas vidas. Fazer terapia, buscar métodos alternativos de cura, foi aos poucos deixando de ser considerado “coisa de maluco”.

As primeiras técnicas que se tornaram conhecidas, como o Shiatsu, eram as mais adequadas para aquele momento. Na aplicação mais tradicional do Shiatsu, o contato corporal ainda é bastante restrito, quase que limitado às pressões digitais nos pontos específicos dos meridianos. Gradualmente, foram surgindo novas abordagens como o Zen-Shiatsu, que o contato corporal já é bem maior.

Depois, a Ayurvédica e, hoje,a Thai Massagem traz consigo um contato corporal muito maior, e não apenas físico, porque para que este aconteça, tem que haver um grau de confiança recíproca. Em suma, hoje as pessoas estão espiritualmente mais prontas para se relacionarem neste nível. Hoje, as relações humanas estão Buda Editado por Rita M. de Cerqueira. cada vez mais sobrepujando os valores materiais e as pessoas buscam uma vida subjetivamente mais saudável e mais próxima dos seus semelhantes.

Soul Brasil: Existem linhas diferentes de abordagem e aplicação dentro da própria Thai Massagem?

S. I. : Existem basicamente duas abordagens diferenciadas dentro da Thai Massagem: uma é mais forte, digamos assim, enfatizando as manobras de alongamentos com tração. Outra, a que eu adoto, tem uma abordagem mais branda e eu considero mais adequada para o nosso mundo ocidental. Esta caracteriza-se por ter movimentos balanceados em ritmo muito lento, o que provoca um relaxamento muito profundo.
Os alongamentos também são aplicados, mas de maneira suave, respeitando os limites que vão sendo gradualmente ampliados em cada manobra.

A combinação destes dois elementos – ritmo e alongamento – refletem uma certa influência do Tai-Chi e do Yoga e proporcionam a criação de uma atmosfera meditativa elevando o potencial da cura ou benefícios da massagem. Acho que esse é o principal diferencial desta técnica e que se revela muito adequada para o nosso momento atual aqui no ocidente, carentes que estamos da aquietação interior para um melhor e mais harmonioso convívio exterior.

Soul Brasil: Como você contempla a expansão da Thai Massagem daqui para frente?

S. I. : Aqui , criamos o Núcleo Thai Brasil reunindo um grupo significativo de pessoas em torno não só da massagem, mas também da dança, arte e cultura Thai. Acho que estamos sendo os pioneiros na formação de uma escola Thai, pois já oferecemos aulas no Espaço A.M.OR. – Associação de Massagem Oriental, uma escola que já tem mais de 20 anos de existência e foi praticamente a pioneira na difusão das diversas técnicas de massagem oriental aqui no Brasil.

O Núcleo Thai Brasil vem desenvolvendo um projeto junto à Thai Royal Embassy e ao Thai Commercial Office do Brasil para formarmos um Centro de Difusão e Valorização da Cultura Thai. Por isso, inclusive, decidi ir esse ano para a Tailândia, não só completar minha formação em Massagem, mas também adquirir outros conhecimentos dentro da arte, cultura e Budismo Theravada (linha budista praticada na Tailândia).

*Nós entrevistamos Sônia Imenes, atriz, dançarina e massagista que vive em São Paulo.

Facebook Comments

Share This