Foto: Livia Wippich

Na quinta-feira (20/12) ocorreu a cerimônia de encerramento do 11º Los Angeles Brazilian Film Festival no Monica Film Center, em Santa Mônica. O evento, que em 2018 prestou homenagem ao ator José de Abreu e abriu espaço para o Cinema Negro do Brasil, exibiu 45 filmes durante os cinco dias do evento, um recorde de filmes selecionados desde a fundação do Festival em 2008.

A edição deste ano foi premiada no edital de Festivais, Mostras, Premiações, Eventos de Mercado e Ações de Promoção/Difusão da Produção Audiovisual Nacional, lançado em março pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. O projeto recebeu repasse de R$ 194.546,50 e foi a primeira vez que o LABRFF foi contemplado em um edital como este. “Essa edição foi um recomeço após um ciclo de dez anos.

Ter o apoio do Brasil no fomento da cadeia do audiovisual é imprescindível para a organização do evento que tem como objetivo maior fomentar o cinema brasileiro fora do Brasil. “Queremos abrir oportunidades para novas produções e coproduções entre Brasil e Estados Unidos, dar oportunidades para os cineastas brasileiros mostrarem seus filmes na Meca do cinema e encontrarem parceiros e distribuidores para seus filmes”, destacou Meire Fernandes, fundadora do LABRFF.

Também foi realizada mais uma edição do Brazilian Film Market, a feira de mercado do LABRFF, que colocou os realizadores brasileiros em contato com a indústria americana. “Promovemos a discussão de temas fundamentais para os profissionais envolvidos em toda a cadeia do audiovisual, enfocando, principalmente, na vocação econômica, na geração de renda e ativo econômico que tanto permeiam o business entre produtores, distribuidores e realizadores. Além das estratégias de mercado, tivemos duas tardes com as apresentações de promissores pitchings para os executivos das majors hollywoodianas. Esperamos anunciar, tão logo, mais um bem sucedido case, a exemplo do primeiro filme original da Netflix no Brasil, ‘O Matador’, do diretor Marcelo Galvão.” relatou Cris Guzzi, produtora do LABRFF no Brasil.

Confira a lista de vencedores do LABRFF 2018:

Melhor Filme de Longa-Metragem: “Antes Que Eu Me Esqueça” (Dir. Tiago Arakilian);
Melhor Diretor: Tiago Arakilian (“Antes Que Eu Me Esqueça”);
Melhor Fotografia: Alexandre Berra (“A Cabeça de Gumercindo Saraiva”);
Melhor Ator: Nicolas Prattes (“O Segredo de Davi”);
Melhor Atriz: Neusa Maria Faro (“O Segredo de Davi”);
Melhor Ator Coadjuvante: Jackson Antunes (“Coração de Cowboy”) / Rui Ricardo Diaz (“SP: Crônicas de Uma Cidade Real”);
Melhor Atriz Coadjuvante: Thaís Pacholek (“Coração de Cowboy”);
Melhor Roteiro: Hélio Martins Júnior (“Trabalho Sujo”);
Melhor Trilha Sonora: Vivian Aguiar-Buff (“Não se Aceitam Devoluções”);
Melhor Documentário: God´s Tenants (Dir. Alfredo Avila e Edward Vela) / Badi (Edu Felistoque);
Melhor Curta-Metragem (Brasil): “Distúrbio” (Dir. Claudia Pinheiro)
Melhor Curta-Metragem (Mostra Cinema Negro): “Rainha” (Dir: Sabrina Fidalgo);
Melhor Curta-Metragem (EUA): “Duke” (Dir. Thiago Dadalt).

Facebook Comments

Share This