Você sabia que, atualmente, os casos de violência contra a mulher no exterior podem ser reportados por meio do Ligue 180 Internacional? Tendo em vista o alto número de casos de brasileiras que se envolvem com estrangeiros e se tornam vítimas de violência doméstica, esta versão do disque-denúncia está disponível em 16 países, numa parceria entre o Ministério das Relações Exteriores e a Secretaria de Política para as Mulheres, do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

O alerta vem do Departamento Consular de  Brasileiros no Exterior, que aconselha as brasileiras que se relacionam com estrangeiros pela internet a terem cautela antes que o envolvimento se torne algo mais sério e resulte, por exemplo, numa viagem ao exterior. Segundo a diretora do Departamento, Luiza Lopes da Silva, há mulheres que se enchem de esperanças, formam uma opinião e nem mesmo familiares e amigos conseguem fazê-las desistir de uma viagem, pois elas depositam todas as expectativas no relacionamento virtual.

Diante de diversos relatos de mulheres que se tornaram vítimas  nas mãos de parceiros estrangeiros, o Itamaraty disponibiliza em seu Portal Consular um alerta para que elas não sejam alvo de nenhum tipo de violência no exterior.

Por meio do Disque 180 Internacional e também nas representações diplomáticas, o Itamaraty recebe relatos dramáticos de mulheres que iniciam relacionamentos pela internet utilizando ferramentas de tradução disponíveis pela internet, uma vez que, em alguns casos, o casal não tem nem mesmo o domínio de um idioma em comum, e acabam caindo numa cilada. Boa parte delas custa a entender que muitos estrangeiros buscam relacionamentos com mulheres brasileiras apenas interessados no visto brasileiro.

“Para nós brasileiros é difícil entender, porque nós pensamos que uma cidadania cobiçada é uma cidadania americana ou europeia. Mas a brasileira também é, e nossas compatriotas descobrem isso da maneira mais dura”, ressalta a diretora.

Uma das vantagens da cidadania brasileira, por exemplo, é a dispensa de visto para entrar em países da União Europeia. De olho nisso, relatos apontam que alguns estrangeiros têm buscado o contato com as mulheres brasileiras, se casam e o relacionamento dura o tempo necessário para a obtenção do visto. Infelizmente, alguns desses relacionamentos são construidos com ameaças, interesse e violência.

É importante deixar claro que a violência doméstica não é uma generalização, pois há casos de boas pessoas que se relacionam por amor, sem segundas intenções. A ideia do Itamaraty não é desestimular esse tipo de relacionamento, mas apenas atentar para os cuidados necessários para o sucesso nesse tipo de envolvimento para que cada vez menos brasileiras sejam vítimas de violência.

Share This