Foto: Reprodução twitter (@kron4fladeboe)

Na quarta-feira (18/10) completou-se dez dias de incêndios florestais intensos no estado da Califórnia, principalmente ao norte, e que ainda continuam devastando estruturas e fazendo vítimas. Enquanto as chamas são combatidas por milhares de bombeiros, moradores observam de longe as paisagens mudarem para cinzas. No entanto, se por um lado os bombeiros ganham terreno e avançam apagando as chamas, por outro, novos incêndios apareceram a cada dia em todo o estado.

Na manhã da terça-feira (17/10), um novo incêndio surgiu nas Montanhas San Gabriel (Condado de Los Angeles) que devastou uma área de 30 hectares e ameaça, inclusive, um observatório histórico: o Mount Wilson, com um telescópio instalado em 1929, no qual o astrônomo Edwin Hubble descobriu a expansão do universo. Além deste, outro incêndio ameaça causar sérios danos ao estado: nas montanhas de Santa Cruz, ao sul da Baía de São Francisco. O foco começou na noite de segunda-feira (16), se espalhou por 125 acres e provocou a evacuação de 150 casas.

De acordo com o Cal Fire, agência estatal responsável pelo combate a incêndios no estado, nesses dez dias (8 a 17 de outubro de 2017) foram queimados uma área superficial de 245.776 acres – mais do que os primeiros nove meses do ano em que se registrou de 233.969 acres queimados. De 1 de janeiro a 15 de outubro deste ano, o Cal Fire registrou 6.089 incêndios que atingiram uma área de 479.745 acres, enquanto no mesmo período de 2016, os números foram de 4.457 incêndios e 244.030 acres queimados. Os incêndios deste mês estão sendo considerados os mais destruidores da história do estado.

Aproximadamente 5.700 estruturas foram destruídas, entre casas, vinícolas, hotéis e outras empresas. O número de mortes decorrentes das chamas subiu para 41 na terça-feira (17). Na região vinícola dos famosos condados de Sonoma e Napa, nas quais centenas de estruturas foram atingidas, dezenas de milhares de pessoas começaram a retornar às suas casas a partir da terça-feira (17), embora muitos encontrassem apenas cinzas no lugar de suas residências.

“O clima melhorou em relação aos ventos intensos e secos que tivemos na semana passada, mas ainda há ventos e temperaturas altas em elevações altas”, disse Amy Head, porta-voz dos bombeiros da Califórnia. “Mesmo se os ventos não aumentarem, é um terreno íngreme e podemos ter alguns problemas com brasas voando através das linhas. Ainda não estamos fora de perigo”.

Residências e estruturas destruídas e transformadas em cinzas. (Foto: reprodução/celinefirepoppy)

Equipes de busca e resgate no norte da Califórnia estão vasculhando casas queimadas em busca de dezenas de pessoas ainda desaparecidas. Na cidade de Santa Rosa, bairros inteiros foram reduzidos a cinzas, escombros e carros queimados. Até agora nenhuma causa foi determinada para os incêndios. De acordo com a Associated Press, linhas de energia derrubadas pelos ventos são vistas como uma possibilidade.

Bombeiros, usando mais de 960 carros, 30 tanques de ar e 73 helicópteros, esperam que as chamas estejam completamente contidas até sexta-feira (19). Precipitação também é esperada para chegar posteriormente na semana, levando alívio para condições secas.