Desde segunda-feira (04/12), cerca de 220 mil pessoas já se viram forçadas a abandonar as suas casas no sul da Califórnia, enquanto 5.700 mil bombeiros tentam combater fortes incêndios florestais, intensificados pelos fortes ventos na região. Pelo menos 500 estruturas ficaram destruídas até agora por seis grandes focos de fogo, além de outros menores que irromperam  de Los Angeles até o litoral do Pacífico e o condado de Santa Barbara.

No Vale de San Fernando, ao norte de Los Angeles, o Incêndio Creek destruiu ao menos 30 casas e forçou a debandada de moradores de 2.500 casas. Já em San Diego e Riverside, novos incêndios se expandiam rapidamente, enquanto um pequeno foco em Malibu, nas imediações de Los Angeles, foi neutralizado. As autoridades ordenaram retiradas dos moradores e o fechamento de estradas.

O incêndio Rye ameaça mais de 5 mil lares e estruturas ao nordeste de Los Angeles. O Incêndio Skirball, que irrompeu no início de quarta-feira perto de grandes propriedades na vizinhança de Bel-Air, em Los Angeles, só está 5% contido.  Ele já se espalhou por mais de 150 hectares e destruiu várias casas e mansões. Os bombeiros lutam para salvar casas de milhões de dólares na rota das chamas.

Dois incêndios foram registrados em Los Angeles, na beira da autoestrada 405, a mais transitada do país com 400 mil veículos por dia. Os automóveis  que passavam pelo local eram banhados por uma chuva de cinzas e o fogo iluminava o horizonte.

141 mil acres de superfície já foram queimados, de acordo com o Departamento de Proteção de Incêndios Florestais da Califórnia (CalFire). O governador Jerry Brown declarou estado de emergência e, pela primeira vez, foi ativado um sistema de alerta que informa por celular sobre uma situação de “perigo extremo” devido às chamas.

Califórnia emitiu o alerta roxo, o nível mais elevado de sua história | Imagem: Nasa

Ordens de evacuação foram emitidas em várias áreas do Estado. Está em vigor o alerta roxo, o nível mais elevado na história da Califórnia, em meio ao que autoridades locais estão chamando de um “clima extramente crítico para fogo”.

Cerca de 5.700 bombeiros lutam frente às chamas e parte do grupo já começa a demonstrar exaustão pois os turnos de trabalho nos últimos dias chega a ser de até 16 horas. As autoridades estimam que a tarefa de tentar conter o fogo em 100% pode se estender até o Natal.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou na sexta-feira (08/12) o estado de emergência na Califórnia e ordenou que o governo federal conceda assistência adicional ao estado. Com a medida, Trump autorizou o Departamento de Segurança Nacional e a Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema) a coordenar “todos os esforços nas tarefas de socorro”.

 

No vídeo abaixo, de uma moradora de Los Angeles, é possível ver a região próxima a Bel-air em chamas na quarta-feira. (Reprodução: Twitter)

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.