Por Lindenberg Junior

O clima é tropical, com duas estacões bem definidas: uma chuvosa, de janeiro a agosto, e uma seca, no restante do ano. A temperatura média é 25 graus centígrados, sendo os três primeiros meses do ano os mais quentes. A exemplo do que ocorre em outros sistemas insulares oceânicos, o arquipélago mostra uma avifauna exuberante, abrigando as maiores colônias reprodutivas de aves entre as ilhas oceânicas do atlântico sul tropical. Nas matas são répteis, pombos, tartarugas e lagartos que utilizam o arquipélago como zona de alimentação e crescimento.

Fernando de Noronha, considerado patrimônio ambiental da humanidade, é um arquipélago vulcânico isolado no atlântico equatorial sul do nordeste brasileiro, formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de natureza vulcânica. Possuindo uma área de 26 km quadrados, dos quais 17 são ocupados pela ilha principal, único reduto habitado e onde se encontram as principais atracões, Noronha é a parte visível de uma cadeia de montanhas submersas. A ilha mais bonita do Brasil é o mais famoso paraíso ecológico do país, onde existe um rigoroso controle para preservação ambiental. São praias, falésias, baías, morros, cavernas, matas e mirantes. Todos, pequenos santuários ecológicos onde vivem centenas de espécies animais e vegetais, com marco zero de poluição ambiental.

Ao longo dos anos, pesquisadores descobriram 168 famílias de moluscos e 72 espécies de crustáceos; além de uma grande quantidade de peixes ornamentais e cardumes migratórios sazonais. Parque Nacional Marinho desde 1988, é administrado pelo IBAMA (órgão governamental criado com o objetivo de preservar o ambiente marinho e terrestre), que desenvolve vários projetos de pesquisa como o “Projeto Tamar”, sobre as tartarugas marinhas e “Golfinho Rotator”, estudo sobre seu comportamento e reprodução. Noronha, com seu rico ecossistema e beleza natural estonteante, sempre despertou a atenção de pessoas em todo o mundo, interessadas em conhecer esse verdadeiro paraíso tropical.

Considerado pela revista Scuba Dive “o melhor local de mergulho do planeta”, o arquipélago não pode ser visitado apenas em terra firme. Embaixo d’água, os 50 metros de visibilidade permitem ver golfinhos e peixes super coloridos. Pode-se fazer mergulho livre, com snorkel e máscara, ou autônomo. E um trekking para quem gosta de aventura, imperdível! Todas as caminhadas terminam em praia.

Embora curtas, sob o sol quente do nordeste, é necessário um bom preparo físico. Neste paraíso, nada se compara ao prazer de descobrir um lugar onde a natureza permanece intocada há muitos séculos. Para isso, uma das melhores maneiras de conhecer a ilha é cavalgando. Isso, é claro, se você gosta de turismo equestre.

Pôr-do-sol em Noronha: um verdadeiro presente para nossos sentidos

No começo do ano, quando chegam as chuvas e com elas ondas grandes e perfeitas, praias como a da Cacimba do Padre, da Conceição e da Biboca se tornam os lugares mais cobiçados pelos surfistas que gostam aliar muita emoção a uma natureza de beleza incomparável. Para o turista que pensa em visitar Noronha, não há limite imposto no tempo de permanência; mas existe uma taxa de preservação ambiental paga no desembarque, que aumenta de acordo com o tempo de estadia.

Para o visitante, existem várias opções de hospedagem, mas todas tem como característica principal a simplicidade. Contando com 70 pousadas e um hotel, esses locais trabalham no sistema de pensão completa, com café, almoço e jantar. E para se sentir em casa, nada melhor do que um clima familiar! Todas as pousadas funcionam nas residências dos moradores locais, mais ou menos adaptadas a esse tipo de serviço. Sendo assim, o convívio familiar, acaba fazendo com que o turista se sinta em sua própria casa de praia!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.