A polícia de Los Angeles recebeu um telefonema por volta das 3:30 da manhã de quarta-feira (25/07) avisando que alguém, aparentemente com uma picareta guardada em uma bolsa customizada para violão, espatifou a estrela da fama do presidente que foi instalada em agosto de 2007 na Hollywood Blvd. A ligação foi do próprio suspeito que chamou as autoridades e horas depois se entregou.

O ato de vandalismo que aconteceu nesse dia não foi inédito, já que algo similar aconteceu em outubro de 2016. Naquela ocasião, o suspeito, identificado como James Lambert Otis, chegou ao bloco 6800 da Hollywood Blvd vestido como se fosse operário da construção civil e com um martelo na mão destruiu a estrela de Trump.  Otis disse na época que ele não tinha medo de ser preso e que também não temia Trump.

No mais recente caso, na chegada da polícia, dava para notar apenas fragmentos da estrela. A tenente Karen Leong, da divisão do LAPD de Hollywood, disse à imprensa: O homem chamou a polícia e avisou que ele tinha acabado de vandalizar a estrela de Donald Trump e basicamente se entregou dizendo “vejo vocês em breve”. Com essa declaração ficou no ar uma possível próxima tentativa em um futuro não distante.

Quando a polícia chegou, o suspeito já não se encontra no local, no entanto, uma hora depois do ocorrido, o mesmo se entregou na delegacia de Beverly Hills. Agora ele enfrenta acusações de vandalismo. Uma testemunha do ato demonstrou surpresa à rede de TV NBC dizendo “Eu perguntei o porquê de estar estava fazendo aquilo com a estrela. O que Donald Trump fez com você? Daí ele se virou em seguida e foi embora”.