Paulo Batuta com a esposa gravida do primeiro filho no San Diego Brazilian Day de 2015.

Ele é o idealizador e produtor do maior evento brasileiro ao ar livre da costa oeste dos EUA e que atrai milhares de pessoas anualmente, o Brazilian Day San Diego. Formado em economia, o paulista, natural de Campinas, e mestre de capoeira Paulo Lima, mais conhecido como Paulo “Batuta”, chegou à Califórnia como muitos outros, para estudar inglês, mas graças à capoeira sua vida se transformou e ele não voltou mais para o Brasil.

Paulo começou a trabalhar com apenas 14 anos na FEPASA (Ferrovia Paulista S.A) como office-boy, depois passou para o Departamento de Recursos Humanos e em seguida para o Departamento de Economia da mesma empresa. No total foram 16 anos até vir para a Califórnia para estudar inglês. “Na época, em 1997, eu já era instrutor de capoeira, e algumas pessoas pediram aulas particulares, depois os pedidos eram por aulas em grupo e a coisa foi andando com a propaganda boca a boca. Através da capoeira, montei shows de cultura brasileira, como maculelê, puxada de rede, dança guerreira, samba de roda, dança do côco, e veio à batucada com sambistas”, nos diz Paulo.

As coisas foram fluindo e em 1999 “Batuta” fundou o grupo Capoeira Mandinga San Diego e anos depois a ONG Brazilian Institute for Arts and Culture (BIAC) – que tem como missão facilitar a educação de artes e cultura brasileiras para o enriquecimento comunitário, através de programas educacionais para todas as idades. “Foi um passo importante para ajudar a promover a dança, música, literatura, folclore, capoeira, enfim, as tradições brasileiras no Sul da Califórnia”, enfatiza Paulo.

O Brazilian Day San Diego surgiu em 2007 e foram 11 anos consecutivos de sucesso, até que em 2018, com dois filhos pequenos e, principalmente, com a falta de recursos e um patrocinador que apresente o festival, Paulo resolveu dar um tempo, se dedicar mais a família e se fortalecer para uma volta triunfal em 2019!  www.braziliandaysandiego.com

Facebook Comments

Share This