Em uma disputa acirrada, a Acadêmicos do Tatuapé se consagrou bicampeã do carnaval paulista. O título só foi garantido na apuração da última nota do último jurado, e pelos critérios de desempate: a escola ficou com a mesma pontuação da Mocidade Alegre, Mancha Verde e Tom Maior (270 pontos), mas teve melhor desempenho no quesito alegoria.

Com um enredo em homenagem ao estado do Maranhão, a escola caiu nas graças do público. A Tatuapé exaltou o belo estado do nordeste brasileiro em diversos aspectos. Em seu primeiro carro, falou sobre o encontro da cultura francesa com a abundância da natureza local. Com muito verde e plantas, o carro deu o tom colossal do desfile.

A força da cultura negra e do folclore popular, com o bumba meu boi e os cultos afro-brasileiros, brilharam no sambódromo. A bateria foi outro destaque, pois inovou ao incorporar a batida do reggae à percussão, fazendo referência ao gosto da população maranhense pelo estilo musical nascido na Jamaica.

Muito emocionado, Eduardo dos Santos, presidente da agremiação, defendeu o mérito da vitória e agradeceu os integrantes da escola. “Esse é um trabalho da nossa comunidade, do nosso time, do nosso povo. Nós somos merecedores, nós trabalhamos muito para isso. Acho que a gente fez um belo trabalho, vamos comemorar, eles merecem todo nosso carinho e nosso amor”, disse.