O dólar comercial fechou esta segunda-feira (10) em alta de 0,73%, cotado a R$ 3,91 na venda. Foi o quinto avanço seguido da moeda norte-americana e o maior valor de fechamento em mais de dois meses, desde 2 de outubro (R$ 3,93). Na semana passada, o dólar teve alta de 0,89%, e a Bolsa registrou queda acumulada 1,55%.

Investidores estavam cautelosos nesta sessão devido à guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. A disputa ganhou um novo capítulo com a prisão de uma executiva da gigante chinesa de tecnologia Huawei, o que levanta dúvida sobre o quanto a trégua acertada entre os presidentes das duas nações no G20 servirá para se chegar, de fato, a um acordo.

Há ainda preocupação sobre a desaceleração da economia mundial, sobretudo depois que as exportações e importações cresceram muito menos que o esperado em novembro, já refletindo o desaquecimento gerado pela briga comercial.

No Brasil, o foco se voltava para as denúncias de lavagem de dinheiro envolvendo Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), senador eleito e filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que podem impactar o futuro governo.

Facebook Comments

Share This