Por Laís Oliveira

Germano de DJ nas noites de quinta-feira em Hollywood

Resiliência, no dicionário da língua portuguesa, refere-se à capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte, às mudanças e superar obstáculos. Essa é a palavra que define um brasileiro, vivendo em Los Angeles (EUA), e sua história que tinha tudo para acabar de forma trágica, mas que com a força de seu protagonista tem ganhado um final feliz dia após dia em sua luta incansável contra qualquer barreira.

Germano Kuerten, ou “Mano”, é um produtor, compositor e DJ, mas também é ator com formação em Produção de Cinema, de 30 anos (2018), mais da metade deles vividos nos Estados Unidos, mais precisamente em L.A. Nascido em Santa Catarina, Brasil, aos dois anos de idade, nos braços de sua mãe, entrou nos EUA ilegalmente após ter o visto negado para sua família. Com uma infância tranquila e feliz, era um garoto comum cujos pais tentavam se adaptar à nova vida longe de casa.

Desde criança já tinha uma certeza: amava cinema e música. Fosse imitando Michael Jackson, um dos seus maiores ídolos na infância, ou se divertindo atuando, dançando e sendo o centro das atenções na família, o menino já demonstrava que a arte, em suas variadas vertentes, seria seu caminho pelo resto da vida.

Após um retorno ao Brasil, ainda na infância, que durou alguns anos, enfrentou o divórcio de seus pais, que é um momento muito difícil para uma criança, e decidiu juntar-se ao seu pai e voltar aos EUA com apenas 15 anos, para estudar e depois tentar a carreira artística que tanto sonhava.

Durante o ensino médio (High School), sua primeira prova de resiliência se apresentou quando Mano tinha 17 anos. Seu pai, viciado em drogas há anos, o abandonara. Completamente sozinho, o adolescente teve que trabalhar enquanto estudava e recebia ajuda de amigos para sobreviver. Sem conseguir se manter e a ponto de ir viver nas ruas, foi morar com amigos e até na casa dos pais de um desses amigo(as), então, namorada na época.

Na casa de um dos amigos que o acolheu, Mano foi apresentado a um DJ e se encantou pela arte de mixar e fazer sons. A paixão pela música foi tão forte que ele aprendeu mixagem e produziu festas de música eletrônica com amigos que cada vez alcançavam maior número de pessoas e ficou conhecido na região do Westside de Los Angeles, incluindo Beverly Hills.

Mano com seu diploma no dia de sua graduação

Apesar de ter explodido como DJ na escola, o jovem sempre esteve dividido entre a música e a sétima arte, então, buscando aprendizado e evolução, fez cursos de cinema e produção durante esta época. Aos 20 anos, tocou com um DJ de renome que o ensinou a compor house music, bem como a trabalhar nesse meio. Nesse momento, a carreira musical falava mais alto, apesar de o cinema nunca ter sido deixado de lado.

Aos 22 anos já havia assinado com um selo conhecido no mercado da música eletrônica e, aos 23 anos, retornou ao Brasil, onde já tinha seu nome na cena local cujos DJs tocavam, inclusive, suas músicas nas boates brasileiras. Toda essa superação, que parecia impossível para um jovem vivendo sozinho fora de seu país de origem, lhe dava forças para não desistir.

Agora oficialmente um residente americano – uma conquista árdua depois de anos de ilegalidade – e após alguns meses de sua ida ao Brasil, mais um baque: sua mãe havia falecido devido a um acidente. Sozinho novamente, após a trágica notícia, Mano decidiu se focar na sétima arte e conseguiu uma participação no premiado filme “Argo”, de 2012, e ganhador do Oscar naquele ano. Participou inclusive em uma cena com a estrela Zac Efron.

Lutando contra todas as barreiras que a vida vinha lhe impondo desde a adolescência, o jovem decidiu entrar na faculdade e se formou em 2015, aos 27 anos, em Produção de cinema pela Faculdade Cal State Northridge.

Entre estudos, cursos, trabalhos diversos – para se sustentar – e produções musicais como DJ, conseguiu finalizar seu álbum e enviou a Gui Boratto – produtor brasileiro de música eletrônica de renome mundial. Já com certa fama, Germano recebeu uma proposta para ir ao Brasil participar de um festival musical. Infelizmente, ele acabou sofrendo um golpe e sendo roubado pelo promotor do evento. Dessa forma, retornou aos EUA frustrado e sem esperanças.

Mas a resiliência o ensinou a sempre se levantar e, enquanto se encontrava depressivo com os últimos acontecimentos – que fariam qualquer pessoa desistir ou escolher um caminho trágico para viver, ele decidiu se levantar e tentar mais uma vez. Durante uma palestra de autoajuda, Mano compartilhou sua história com outras pessoas e encontrou o apoio que precisava para se reerguer.

Germano atuando no filme Fargo

O grupo o presenteou com amigos para toda a vida e sua persistência o fez continuar a seguir seus sonhos. Em 2016, contracenou com os atores brasileiros Emiliano Ruschel e Larissa Vereza em Alesia: Ground Zero,  uma Websérie. Em 2017, trabalhou em dezenas de comerciais para famosas marcas do mercado enquanto assistente de produção. No momento (2018), Germano está no “Professional Track” do The Groundlings – teatros de improvisação de renome em L.A por onde já passaram atores como Will Ferrell e Lisa Kudrov (Friends).

De sua vida e trajetória, cheia de altos e baixos, ele só retira o que é positivo. E para os que querem tentar uma carreira artística nos Estados Unidos, Mano deixa uma mensagem certeira “seus pensamentos criam sua realidade. Não venha para os EUA tentar a sorte, venha criar sua própria sorte”.