A celulite é um problema estético que incomoda muito e pode acabar com a autoestima de qualquer mulher. Oito em cada dez mulheres possuem alguma forma ou grau de celulite em seu corpo. Nos homens, apesar de não ser incomum, ela não causa tanto pânico, mas ambos os sexos podem entender suas causas e como evitar ou melhorar seu aspecto no corpo. Apesar de ser comum associar o surgimento dos temidos furinhos à uma alimentação inadequada, com muita gordura, açúcar e frituras, a celulite aparece mais no corpo das mulheres por razões ligadas ao organismo de cada um dos sexos.

O tecido adiposo do homem é diferente do da mulher. No feminino, existem septos (traves que permeiam as células de gordura) que são finas e retas e estão ligadas da superfície até o tecido, o que formam os famosos furinhos da celulite. Já os septos masculinos são grossos e mais resistentes, e ficam dispostos de maneira oblíqua. Quando ele ganha peso, a gordura vai para o fundo, enquanto as mulheres projetam para fora, é o que explica a dermatologista Valéria Marones.

A questão hormonal também facilita o surgimento da celulite no sexo feminino. O estrogênio, hormônio produzido por elas, causa retenção de líquidos e também manda a gordura direto para glúteos e coxas, exatamente nos locais aonde a celulite costuma aparecer. Quando os músculos fortes da região se contraem, a pele é puxada e lá aparecem os furinhos. Já a testosterona, produzida pelo organismo dos homens, manda a gordura consumida direto para o abdômen – ou seja, os rapazes têm mais facilidade para ganhar aquela barriguinha.

Geralmente a celulite feminina aparece desde jovem até a idade adulta, nas coxas, quadril e nádegas. No caso dos homens, os furinhos geralmente dão as caras em homens mais velhos e com sobrepeso, na região abdominal. O tratamento pode ser com gel, cremes, drenagem linfática, entre outros, mas o foco consiste em diminuir o número de células de gordura localizada para que se melhore a drenagem do local e a retenção de líquidos, explica a médica.

Portanto para prevenir os tão incômodos furinhos, é ideal ter uma dieta equilibrada, rica em fibras e pobre em gorduras e açúcar. Outros cuidados recomendados são os repetidos por vários médicos: evitar o sal em excesso, cigarro e bebidas alcoólicas e ingerir bastante líquido, e praticar exercícios físicos regularmente.

Facebook Comments

Share This