Por Lívia Caroline Neves

Segundo algumas fontes, esta arte teria se iniciado na antiga Índia, em especial com os monges budistas que viajavam muito e eram constantemente abordados por saqueadores. Por princípios religiosos, eles não podiam usar de agressividade e, na intenção de evitar esses roubos, inventaram uma forma de defesa. Nasceu assim o Jiu-Jitsu que, ao pé da letra quer dizer: Arte Suave.

A origem do Jiu-Jitsu se perde na noite dos tempos. Acredita-se que no primeiro ataque ou defesa de um ser humano-estaria caracterizada a primeira luta em si. É claro que o instinto de ataque ou defesa está latente no homem, pois sem ele, o ser humano não teria sobrevivido aos tempos pré-históricos. A coordenação desta agressividade, sua estilização e o respeito as Leis da Natureza, resultam na criação das Artes Marciais que tem seu estudo fundamentado na eficiência destes princípios.

Dentre as Artes Marciais, o Jiu-Jitsu é uma das mais sutis, considerando que nesta, o estudo da anatomia humana e seus pontos frágeis, o uso de alavancas, o princípio da física e flexibilidade harmonizados com a mente, resultam numa das mais requintadas artes. O Jiu-Jitsu tem como princípio básico utilizar o mínimo de força. Para um bom resultado, aproveita-se a força e a fraqueza adversária.

Depois da Índia foi a vez da China conhecer esta técnica, que se caracterizou como prática bélica, onde o Jiu-Jitsu era praticado com kimono curto, e com mãos livres.Como luta corporal tinha grande importância no desarmamento e sua prática chegou ao auge na época da unificação da China.No Japão, o Jiu-Jitsu deu um grande salto. No país do sol nascente, em especial em sua parte feudal, o Jiu-Jitsu se dividiu em vários estilos, mas foi no Brasil que esta famosa arte marcial ganhou o mundo se adequando de forma espontânea e natural. Atualmente, esta arte marcial de movimentos sutis é um dos grandes meios de divulgação da cultura brasileira.

O Jiu-Jitsu chegou ao Brasil por intermédio do chefe da imigração japonesa, Mitsuyo Maeda, no início do século 20. Maeda passou seus conhecimentos a Carlos Gracie, já falecido, irmão mais velho de Hélio Gracie, um dos maiores responsáveis pela divulgação dessa arte no Brasil, e agora também no mundo.Carlos Gracie chegou ao Rio de Janeiro em 1925 , onde montou a primeira academia de Jiu-Jitsu, na Rua Marquês de Abrantes, no bairro do Flamengo, onde começou a ensinar seus irmãos George, Gastão, Oswaldo e Hélio.

Helio Gracie passou a ser o grande nome e difusor dessa arte marcial e a cidade do Rio de Janeiro passou então a ser conhecida como a Meca do Jiu-Jitsu por ter concentrado toda a família Gracie que, desde então,tem aperfeiçoado muito o esporte. Formou-se inumeros discípulos. Além de Hélio Gracie, outros grandes nomes da família foram Carlson e Rolls Gracie. Rorion, Renzo, Royler, Royce and Rickson são parte dos que atualmente se destacam entre os melhores lutadores do mundo.

A primeira organização no Brasil foi a Federação Carioca de Jiu-Jitsu fundada por Hélio e depois administrada por Robson Gracie. Atualmente existe a Confederação Brasileira e Mundial, ambas comandadas por Carlos Gracie Jr., a Federação Americana de Brazilian Jiu-Jitsu, conduzida por Joe Moreira e a Federação Internacional Gracie de Jiu-Jitsu criada com o apoio do Mestre Helio Gracie.

O Jiu-Jitsu é a arte marcial que pode ser considerada a mãe de todas as outras. A partir dela, nasceram modalidades como o karatê e o judô como esportes de competição O Jiu-Jitsu é a mais antiga e perfeita arte marcial de defesa pessoal. E superior a todos demais estilos por ser a mais eficiente e completa. Podemos dizer que o Jiu-Jitsu divide-se em 6 partes: Quedas (Judô), Traumatismo-Atemi (Karatê-Jitsu), Torções (Aiki-Jitsu), Estrangulamento, Imobilizações, Colocações (Posição de combate, momento de ataque e esquiva).

Facebook Comments

Share This