english-1705196_960_720O brasileiro fala mal inglês, isso é o que revela uma recente pesquisa mundial (2017). No ranking com 70 países realizado pela empresa de Educação International Education First (EF), o Brasil perdeu duas posições em um ano, já que na pesquisa anterior ocupava o 38º lugar e, no ranking de 2016, o 40º.

Não está bom o suficiente para, por exemplo, ler notícias em inglês ou apresentar trabalhos. Quase um milhão de pessoas de 72 países participaram da pesquisa respondendo testes pela internet. O resultado do Brasil foi ruim pelo 6º ano seguido e isso se reflete no mercado de trabalho.

De acordo com o relatório, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 serviram de incentivo para que os brasileiros aprendessem inglês, mas, ainda assim, o quadro só piora. “A proficiência em inglês continua fraca no Brasil, apesar das reformas educacionais importantes e programas de capacitação de professores de inglês nos últimos anos”, diz o texto.

Para chegar no resultado, a empresa de educação internacional Education First (EF), mediu a compreensão gramatical, o vocabulário e o domínio de leitura de adultos e classificou os países nas classes “muito alta”, “alta”, “moderada”, “baixa” e “muito baixa”.

Com uma pontuação de 51,05 (1,09 a menos do que no ano passado), o Brasil aparece na categoria de proficiência baixa e deixa de fazer parte dos 40 primeiros, mas ainda fica à frente de países como a China, Colômbia e Emirados Árabes Unidos

Share This