Paulo Orlando, jogador brasileiro de Beisebol atualmente no Kansas City Royals

O Beisebol, uma paixão norte-americana que, aos poucos, ganha fãs e profissionais no Brasil, valeu medalha olímpica de 1992 a 2008 e, após esses anos, vai ter sua volta em Tóquio-2020. Mas como anda a popularidade do esporte entre os brasileiros?

Muitos nem imaginam, mas o país apaixonado por futebol hoje tem uma série de profissionais com experiências entre os melhores do mundo. A MLB, a principal liga americana, contou, em 2018, com a presença de três brasileiros nos elencos principais: o catcher Yan Gomes, do Cleveland Indians, o outfielder Paulo Orlando, do Kansas City Royals, e o arremessador Luiz Gohara, do Atlanta Braves.

O país ainda conta com mais 15 jogadores sob contrato com times da elite, incluindo os irmãos americanos Bo e Dante Bichette, mas em processo de evolução nas ligas menores, como Eric Pardinho, de apenas 18 anos, que merece destaque na modalidade. A importância cresce diante da volta da modalidade para o programa dos Jogos Olímpicos já em 2020.

Apesar de ter jogadores mais perto de estar em um elenco da MLB, como o arremessador Thyago Vieira, do White Sox, que atuou na elite na temporada passada pelo Seattle Mariners, a principal promessa do Brasil realmente é Eric Pardinho. O arremessador assinou em 2017 contrato com o Toronto Blue Jays, coincidentemente o time que contratou o primeiro brasileiro na história da MLB (José Pett).

Mesmo depois de receber um bônus de US$ 1,5 milhão, Pardinho vai passar por todo o processo de evolução, iniciando a carreira na liga de calouros. Ele já teve a chance de acompanhar os treinamentos do time principal nesta pré-temporada. Em poucos anos, espera estar entre eles.

No processo de adaptação, em 2018, Pardinho teve dificuldades em se comunicar em inglês. Com isso, os latinos passaram a contar com professores e são separados em níveis de compreensão do idioma. O aprendizado é importante nesse momento para os jovens. Quem conseguir se destacar, ganha mais oportunidades em ligas de maior dificuldade. Personalidade não falta para ele.

O Brasil ainda conta com mais um nome importante ainda em atividade. O arremessador André Rienzo se recupera de uma lesão no braço direito e está em fase final de recuperação na expectativa de ter uma chance para voltar a jogar na MLB.

Eric Pardinho

As maiores promessas do Brasil no esporte vem do sudeste do país. Com três mil atletas filiados, a maioria de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, o país tem no centro de treinamento da confederação em Ibiúna (SP) seu principal celeiro de atletas. Uma parceria com a MLB promove a presença constante de treinadores e olheiros estrangeiros. Por lá, passaram atletas como o arremessador Igor Kimura, de 18 anos, que busca um lugar na liga americana sem esquecer do sonho olímpico.

O beisebol parece estar conquistando os brasileiros de vez. Nesse esporte tudo é possível. Nele, times que não estão no mesmo nível podem se enfrentar de igual para igual. E é nessas oportunidades que novos talentos são revelados e levam o Brasil a sonhar com um possível destaque internacional.

Facebook Comments

Share This