A música é uma das expressões mais importantes da cultura brasileira. Formou-se, principalmente, a partir da fusão de elementos europeus, indígenas e africanos, trazidos por colonizadores portugueses e pelos escravos.   A mistura de música e dança passa de arte a movimentos plásticos e rítmicos do corpo, expressa muita emoção e ideias de um povo místico, miscigenado e sofrido. Demonstra o poder da mistura de raças e da harmonia de instrumentos, cantos e cores. Revela uma alma cheia de sonhos, sensualidade e poesia que combina com a riqueza de nossas tradições e influências trazidas do mundo inteiro.

Devido à essa mescla de várias culturas, o Brasil é um dos países que possui a mais rica cultura musical do mundo e que, desde os anos 40, tem influenciado outros países ao redor do mundo. Por lá, o talento e a criatividade são abundantes, uma nação que tem a música como seu principal embaixador. Os melhor da música brasileira é representado por extraordinários músicos como Tom Jobim, Pixinguinha, Villa-Lobos, Ary Barroso, Carmen Miranda, Clementina de Jesus, Vinícius de Moraes, Bety Carvalho, Caetano Veloso e Gilberto Gil entre tantos outros. Artistas fenomenais que deram do máximo para promover e divulgar o mais importante carro chefe do Brasil: a sua música.

E a influência da música brasileira vem…

* Dos portugueses: fomos introduzidos aos sons da flauta, do clarinete, da guitarra, do piano, do violino, do cello, do cavaquinho, do acordeão e do tambourine. O cavaquinho, inclusive, é o principal instrumento nas famosas rodas de samba  e pagode. É um violão pequeno com quatro cordas que apareceu também no Havaí, onde se transformou no ukulele.

* Dos africanos: que começaram a chegar no Brasil em torno de 1538, fomos influenciados pelo seu ritmos e coreografias exuberantes. Como exemplo vivo e marcante temos o maracatu, o bumba-meu-boi, o lundu, o cateretê, o cacuriá, e o mais famoso de todos, o samba. Um extensivo número de instrumentos de percussão são de origem africana: todos os tipos de percussão estilo “cilindro”, dos atabaques usados em religiões Afro-Brasileiras ao surdo e tamborim das baterias das escolas do samba, ao agogô e o cuíca.

* Dos Indígenas: como Gabriel Soares de Souza – um escrivão e cronista Português descreveu em seu “Tratado Descritivo do Brasil” de 1587: “os Índios Tamoios eram talentosos músicos e dançarinos, também compositores com iniciativas de improvisos; já os Índios Tupinambás carregam constantemente em sua mão direita uma “maraca”, como se aquele instrumento fizesse parte do corpo”. Os instrumentos musicais dos Indígenas brasileiros consistem ainda em chocalhos, flautas, apitos e até chifres de bois.

Share This