Após um segundo turno bastante disputado, às 19h (horário de Brasília) do domingo (28/10), Jair Messias Bolsonaro foi eleito o novo presidente do Brasil. Bolsonaro chegou à Presidência conquistando 55,13% dos votos válidos, contra 44,87% de Fernando Haddad (PT), contando os eleitores também do exterior. A última vez em que essa diferença foi maior aconteceu em 2010, quando Dilma Rousseff (PT) superou José Serra (PSDB), conquistando 56,5%.

Eleições fora do Brasil

No total, 500.727 brasileiros que moram no exterior puderam votar nessa eleição, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Deste número, 160 mil estão nos Estados Unidos. As cidades de Boston e de Miami são as que têm o maior número de brasileiros votando fora do país, com 35.044 e 34.356 eleitores, respectivamente. Em Los Angeles, há 8.046 eleitores registrados. Desses, no primeiro turno 2.700 votaram, já no segundo turno, o número se reduziu um pouco e foram 2.565 votantes.

Nos EUA e em outros países, o candidato do PSL ganhou no segundo turno com ampla diferença chegando a ter 70,98% dos votos válidos. Em Miami, por exemplo, a popularidade chegou a 91,04% dos votos, contra 8,96% de Fernando Haddad (PT).Em Washington, a vantagem foi de 69,41% contra 30,59%, respectivamente.

Na Europa a diferença foi menos acentuada. Em Genebra, na Suíça, foram 63,15% a favor do deputado e 36,85% do ex-prefeito. O parlamentar também ganhou em Lisboa, em Portugal, com 64,41% dos votos, contra 35,59% do opositor. Em Londres, no Reino Unido, foram, respectivamente, 61,55% e 38,45%.

Em Montevidéu, no Uruguai, o parlamentar teve 59,30% contra 40,70% do petista. Já em Tóquio, no Japão, ele alcançou 89,33% contra 10,67% de Haddad.

Já Haddad teve maior porcentagem de votos em Ramallah, na Palestina, Havana, em Cuba, e Berlim e Frankfurt, na Alemanha. O petista também levou em Paris, na França, e em Moscou, na Rússia. Ele ganhou também na Holanda.

Mesmo com 185 mil votos válidos, a abstenção foi grande fora do Brasil. Eram mais de 500 mil eleitores a aptos a votar, mas 298.424não compareceram às urnas, 59,79% do total. Brancos e nulos somaram 15.746 votos no exterior.

Em sua última transmissão ao vivo pelo Facebook assim que foi eleito na noite do domingo, Jair Bolsonaro disse que recebeu uma ligação do presidente norte-americano Donald Trump. “Acabei de receber ligações de alguns líderes, entre eles o presidente dos Estados Unidos acabou de nos ligar, nos desejou boa sorte”, disse. “Obviamente foi um contato bastante amigável. E nós queremos, sim, nos aproximar de vários países do mundo, sem o viés ideológico”, completou Bolsonaro.

Eleições no Brasil

Após uma eleição de muito empenho participação ativa de boa parte da população brasileira, Bolsonaro (PSL) venceu em 15 estados e no Distrito Federal no 2º turno enquanto Haddad (PT), em 11. Nas capitais brasileiras o placar foi de 21 a 6. Votos Nulos, brancos e abstinência bateram recordes chegando a atingir quase 50 milhões de votos.

Nesses locais, o presidente eleito teve mais de 50% dos votos válidos, cálculo que exclui os brancos e os nulos. Como fatos curiosos destacamos que o presidente eleito perdeu em um estado e em duas capitais nas quais havia vencido no 1º turno: nesse caso, Tocantins, Aracaju e Recife onde Hadadd venceu no segundo turno; e que o candidato do PT ganhou no Ceará e na capital, Fortaleza, local no qual Ciro Gomes (PDT) havia sido o vencedor no primeiro turno.

Em São Paulo na segunda-feira (29) de manhã, o atual presidente Temer disse que para se ter estabilidade social, política e uma pacificação, é preciso cumprir rigorosamente a Constituição. “A maioria governa respeitando o direito da minoria, e a minoria não pode atrapalhar a maioria”, disse Temer.

O novo presidente irá depender do Congresso para aprovar promessas de campanha, e mesmo que seu partido (PSL) tenha atualmente a segunda maior bancada da Câmara, existirá a necessidade de negociar com todos os partidos.

Facebook Comments

Share This