Novo livro sobre Donald Trump, cujo lançamento será nesta sexta-feira (05), é polêmico e não poupa críticas ao presidente norte-americano. Em “Fire and Fury: Inside the Trump White House”, o autor Michael Wolff diz que os membros da equipe do mandatário o veem como uma criança e o chamam de idiota.

Em sua primeira entrevista desde a controvérsia sobre seu livro, cujas vendas começaram nesta sexta, o jornalista de 64 anos, em entrevista ao programa Today, da emissora americana NBC, ressaltou que sustenta “absolutamente” a veracidade de todo o conteúdo do livro, apesar das alegações da Casa Branca de que ele está cheio de “falsidades”, e disse que “100%” dos assessores de Trump têm uma opinião negativa sobre ele, incluindo sua filha Ivanka e seu genro, Jared Kushner.

Polêmico, Wolff não poupou palavras em sua passagem pela NBC, “Todos dizem que ele é como uma criança”, disse. “Dizem que ele é um imbecil, um idiota. Há uma competição para tentar chegar ao fundo de quem é esse homem”, acrescentou. “Este homem não lê, ele não escuta, é como uma bola de fliperama, indo para todos os lados”.

Em um tuíte na quinta-feira (04), Trump disse que o livro está “cheio de mentiras, falsas declarações e fontes que não existem” e que ele “muitas vezes” rejeitou os pedidos de entrevista de Wolff. O jornalista ironizou as críticas que recebeu de Trump. “Quem está questionando minha credibilidade é um homem que neste momento tem, talvez, a credibilidade mais baixa do que qualquer um que já tenha pisado na Terra”, disse.

Michael Wolff assegurou que conversou um total de cerca de três horas com Donald Trump para seu livro durante a campanha eleitoral e após Trump ter tomado posse. “Se ele percebeu que se tratava de uma entrevista, eu não sei”, assegurou o escritor, frisando que não houve acordo para que o conteúdo da conversa não fosse publicado. Ele sublinhou que tem gravações e anotações de tudo.