Por Laís Oliveira

Rodrigo Santoro atuando na aclamada série da HBO Westworld

Ser ator no Brasil e posteriormente migrar para os Estados Unidos na maioria das vezes significa começar uma carreira praticamente do zero. Da mesma forma que famosos como Rodrigo Santoro, Alice Braga e Thaila Ayala, dezenas de atores e atrizes brasileiros escolhem viver e trabalhar em cidades como Nova York e Los Angeles a fim de construir uma carreira em solo norte-americano, atuando em filmes e seriados.

Ao sair do solo brasileiro, os atores, sejam iniciantes ou que estão vivendo da profissão há muitos anos, se dividem entre Los Angeles, por causa da capital do cinema Hollywood, e Nova York, cidade que “respira” musicais e peças de teatro, sejam famosas ou independentes, e que tem a Broadway como aspiração de muitos atores.

Hollywood, por exemplo, sempre foi conhecida por acolher de braços abertos quem quer te tenha talento e de várias nacionalidades mundo afora. Assim, é uma indústria cinematográfica extremamente diversa que conta, também, com vários brasileiros.

Mas se no Brasil viver da arte significa lutar incessantemente por trabalhos e tentar ganhar dinheiro, ao chegar num país de língua e cultura diferentes, a adaptação requer ainda mais força para não desistir. Nesse árduo caminho, muitos atores trabalham em pequenas produções enquanto figurantes, por exemplo, para aprender com as filmagens, praticar o idioma, ganhar dinheiro para se manter e, o mais importante, conhecer pessoas e fazer networking.

Quando nos deparamos com a participação de atores brasileiros como Wagner Moura, Sonia Braga, Morena Baccarin, entre outros, em tantas produções dos EUA, parece até fácil conseguir papel em um filme ou série, mas não é. Além de talento e perseverança, a sorte também conta muito numa trajetória de sucesso.

Os estúdios norte-americanos contam com o trabalho de muitos brasileiros, desde grandes diretores que recebem convites de Hollywood (Walter Salles, Fernando Meirelles) aos novos cineastas. Além disso, existem alguns atores consagrados, outros que trabalham nos EUA há décadas e nem são conhecidos no Brasil, e mesmo os modelos que tentam se transformar em atores.

Thaila Ayala é um dos mais recentes nomes que saíram do Brasil após algumas atuações em novelas e propagandas como modelo, e está tentando carreira nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia. A atriz é uma das protagonistas do filme Pica-pau, que acaba de estrear nas telas do Brasil e do mundo, e diz que apesar de viver nos EUA há certo tempo, teve muita dificuldade com os diálogos em inglês.

Thaila Ayala atuando em Pica Pau

Assistindo ao filme, que foi rodado em 2016, a atriz revelou para o diretor: “Podemos fazer tudo de novo? Meu inglês melhorou muito agora”. Thaila também dublou a si mesma para os países de língua portuguesa. “Fiquei morrendo de medo, mas, no fim, já estava me divertindo. Nunca tinha feito isso”, disse a atriz a um site de notícias.

Thaila tem consciência que numa trajetória de sucesso na sétima arte é necessário perseverança e pés no chão, pois não é fácil conseguir trabalhos de destaque e fazer nome fora de seu país de origem. “Tenho o pé no chão. Esse trabalho não passa de um belo cartão de visitas. Já fui muito além do que eu pensava, mas sigo na luta”, afirmou a atriz.

 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.