Por José Carlos de Macedo

O ano de 2016 será regido por Oxalá, orixá que no sincretismo brasileiro corresponde ao Senhor do Bonfim (Jesus Cristo). No panteão ioruba ele se apresenta como o jovem Oxaguian, sincretizado com o Menino Jesus de Praga e o velho Oxalufan, sincretizado com o Nosso Senhor do Bonfim (Jesus Cristo). Oxalá ou Orixalá é representado pelo ancião do pano branco que simboliza a pureza e a paz, tendo o SOL como símbolo. É o orixá que concilia e reconcilia através da escuta, ponderação e diálogo. É aquele que não tolera mentiras e sujeiras de quaisquer espécies, e que vem para justiçar, limpar e corrigir os desmandos dos pecadores e de toda iniquidade.

Será um ano em que deveremos pautar nossas vidas pela concórdia e o perdão. 2016 sugere ouvirmos mais e falarmos menos, pois palavras proferidas em momentos inadequados poderão gerar rompimentos de acordos ou relações sociais de amizade. Deveremos estar atentos às palavras. Depois de ditas serão levadas pelo vento e poderão repousar em ouvidos pouco recomendáveis, trazendo prejuízos para nossa imagem ou mesmo empreendimentos. Saber ouvir será a tônica do ano. Se em 2015 nosso cuidado foi com a escrita de documentos e papéis, o ano de 2016 nos adverte quanto ao nosso discurso, nossa fala. Ver, ouvir e calar será fundamental para se ficar em harmonia com o astral e axé do ano.

Não significa, entretanto, que devamos nos omitir diante das injustiças, dos desmandos e da lei do proveito próprio. Afinal, os “olhos” de Oxalá que tudo veem estarão acompanhando nossas ações. O jovem Oxalá Oxaguian nos guiará em nossa luta em defesa da moralidade, do respeito e amor ao próximo, do cuidado com a natureza e todos os seus seres, sob a égide da justiça divina. O velho Oxalá Oxalufan nos apoiará em nossa busca pelo pão de cada dia, onde os êxitos alcançados em 2015 se solidificarão, e os planos traçados se consolidarão em 2016.

Embora não se apresente como um ano economicamente fértil, o astral do ano favorecerá aqueles que se dedicarem aos seus projetos profissionais e financeiros. Entretanto, 2016 alerta que o despreparo e a ganância implicarão desgastes com aceleração de resultados pífios ou negativos em empreendimentos arriscados. A ambição desmedida poderá levar a fracassos financeiros e a melhor atitude é não se deixar levar por ações perdulárias.

Oxalá, em sua misericórdia, estará dando oportunidades de arrependimento e perdão à humanidade. Os religiosos e esotéricos em geral serão chamados a participar de uma faxina para limpar almas e mentes dos miasmas e lixos espirituais. A religiosidade será a tônica do ano, onde buscaremos forças para vencermos as nossas mazelas e desencantos. Muito mais ainda, o ano de 2016 nos dará a oportunidade de nos livrarmos de vícios, obsessões, pensamentos mesquinhos, sentimentos de derrota e incapacidades. 2016 nos dará a chance de passarmos a limpo nossas vidas e partirmos para um ciclo mais solidário e auspicioso. Nessa transição, Oxalá nos brindará com uma vida nova em um ano novo recheado de sucessos.

O Ano do Amor e da misericórdia de Oxalá contará ainda com  a influência dos orixás ajuntós femininos, Yemanjá, orixá das águas salgadas, e Oxum, orixá das águas doces. Yemanjá, na condição de primeira esposa de Oxalá (Nanã Buruku ou Burukuê), orixá da lama e do princípio do verbo, que com Oxalá povoou o planeta com o humano e todos os seres viventes, exigirá de cada um de nós o compromisso com a verdade e com a manutenção da família, não importando como se possa considerar essa célula nos dias atuais. Oxum-Apará, como orixá da fecundidade, das mulheres grávidas e dos bebes, protegerá cada nascimento nesse ano novo.

Enfim, o axé do ano será o de limpeza, brandura e paz. Será um ano que surpreenderá os pessimistas de plantão e os oportunistas que torcem pela derrota para se aproveitarem dos desafortunados. Embora os acontecimentos dos últimos anos, especialmente em 2015, nos leve a duvidar de boas novas em 2016, ele será um ano iluminado pela fé, paz, amor e misericórdia de nosso pai maior que nos dará a oportunidade de redenção frente às trevas em que se encontra a humanidade. Oxum, orixá da água doce e da vida, virá trazendo o amor e a esperança. Para aqueles que permitirem e abrirem seus corações, Oxum entrará no ano com suas águas para lavar e levar nas correntezas dos rios tudo o que está estagnado e em desordem. Yemanjá trará a cura dos males do corpo e da alma levando em suas ondas cristalinas, para o fundo do oceano, todas as mazelas do mundo.

Nas cartas da cigana Saynara, o ano de 2016 será regido pela lâmina 9, o Eremita, que nos guia para o amor e a espiritualidade. Será um ano auspicioso para os que buscarem a vitória pela união e a solidariedade.  Será um novo tempo de iluminação e entrelaçar de mãos pela paz do mundo. Difícil de acreditar? Creiamos, façamos a nossa parte e o nosso ano será verdadeiramente novo. Ainda é tempo, diz Oxalá. Afinal as trevas só continuarão existindo se não abrirmos nossos corações para o amor e a misericórdia de Alá.

Facebook Comments

Share This