O mais novo comercial de televisão estrelado por Neymar gerou polêmica e muitas críticas no Brasil. “Um novo homem todo dia” é o que diz a campanha de uma marca de barbeadores protagonizada pelo jogador. O vídeo de um minuto e meio traz o craque comentando parte de alguns de seus momentos ruins na carreira, como a contusão na Copa de 2014. No comercial, Neymar também se defende, comentando que seu silêncio, por exemplo, é resultado de sua dificuldade de lidar com frustrações.

A internet não recebeu bem a propaganda estrela por Neymar que, no fundo, parecia querer se explicar, mas esperou essa oportunidade por ser muito bem pago para isso. A maioria das pessoas não acredita nas palavras ditas pelo craque no vídeo e várias piadas e memes foram feitos para demonstrar a insatisfação com a atitude do atacante.

Muito criticado após seu comportamento durante a Copa do Mundo de 2018, Neymar não se manifestou sobre os comentários feitos por jornalistas, torcedores e ex-atletas. Muito se questionou, portanto, o desinteresse do principal craque brasileiro pela forma como é visto pela mídia e pelo público. Com a situação, a fama de “cai cai” que o jogador carrega nas costas está muito longe de acabar.

E o seu fraco desempenho na Copa do Mundo, e provavelmente aliado ao comportamento teatral em campo, tirou uma grande oportunidade de Neymar: ele ficou fora do rol de melhores jogadores do mundo, ao menos temporariamente. A Fifa divulgou na terça-feira (24/07) os 10 indicados ao prêmio Fifa The Best e deixou de fora o brasileiro.

Indicado pela primeira vez entre os 10 candidatos ao prêmio em 2011, Neymar ficou na 13ª colocação em 2012 – e desde então foi figura constante entre os melhores jogadores do mundo. Sua melhor colocação foi a terceira, a qual ocupou em 2015 e 2017, ao lado de Cristiano Ronaldo e Messi. Mas esse ano foi deixado de fora e sua fama de “cai cai” pode ter colaborado para a decisão da FiFa que serviu, ao mesmo tempo, como uma espécie de “puxão de orelha” no jogador que é conhecido pela atitude de simular faltas em campo.

Neymar está de férias no Brasil depois da disputa da segunda Copa de sua carreira e, desde então, o camisa 10 vem sofrendo com as críticas por conta de suas reações ao sofrer faltas no Mundial da Rússia. Os memes e vídeos tirando sarro das quedas do jogador e o chamando de “chorão” e “cai cai” se tornaram sucesso e viral ao redor do mundo incluindo entre crianças que gostam de futebol.

Mas Neymar parece que além de ser bom de bola e “aspirante a “ator” como alguns dizem, também é bom como marketeiro. Nas redes sociais uma brasileira comentou “Gente, o Neymar tem que pôr na cabeça que é jogador de futebol e não ator, deixa o lado teatral para a Marquezine, pois é um péssimo ator, e nenhum juiz vai cair na onda de suas encenações… então vai jogar futebol”.

Ele pode não ser um bom ator, mas é bom marketeiro, e deu uma boa prova disso no dia 19 de julho, ao aproveitar seus milhões de seguidores no Instagram e mostrar bom humor postando um vídeo convocando um grupo de crianças para fazerem o “Desafio da Falta” no qual, ao seu comando, os pequenos caem no chão. Em um outro comentário, outro brasileiro disse “Maravilha… deve ser estratégia de marketing: abraçar o que virou piada e tirar proveito disso”.

No vídeo, Neymar aparece ao lado de um grupo de pequenos fãs e dá o comando para que as crianças caiam no chão, dizendo “é falta, é falta”. O jogador do PSG gargalha com o momento, postado com uma hashtag “#challengedafalta”. No mínimo está aproveitando um efeito negativo para a sua imagem com estratégia de marketing para tentar virar o jogo.

Ao que tudo indica, enquanto o craque não se pronunciar abertamente e com sinceridade para a imprensa e fãs brasileiros, não terá credibilidade e será alvo de críticas.