* Translation by Sarah Bella Mondragon
Photo by Flavio Scorsato

Cristiane Justino Venâncio Santos é a atual campeã feminina mundial de lutas marciais mistas (MMA) pela categoria Featherweight ou Peso Pena. O titulo foi ganho ano passado em agosto de 2009 diante Gina Carano em uma luta que ganhou por nocaute no primeiro round. Quase um ano depois, Cris “Cyborg” alem de manter o seu titulo, também é considerada a top três no rank libra por libra. Tivemos a oportunidade de conversar com ela em meados do mês de maio. Confira abaixo a entrevista com essa brasileira de destaque internacional e que vive atualmente em San Diego, na Califórnia.

Soul BraSil – Onde você nasceu? Poderia me falar um pouco da sua infância e da sua adolescência?
Cris Cyborg – Nasci em Curitiba no Paraná e sempre tive minha família presente na minha vida! Já desde pequena, os esportes me fascinavam. Comecei a praticar esporte aos 12 anos e minha vida era estudar e treinar. Pratiquei varias modalidades ate conhecer o handebol e o atletismo. Competi muito nessas modalidades. Pensava estar realizada e que tinha encontrado os esportes da minha vida, ate que aos 19 anos conheci a MMA. SB – E como foi essa descoberta?
CC – Tudo aconteceu em um jogo de handebol quando um desconhecido veio conversar comigo e me perguntou se eu conhecia a MMA. Na verdade nunca tinha escutado nem tinha noção alguma do que era. Ele me deu um cartão de sua academia “Chute Boxe” e falou para eu ir dar uma checada. No começo não tive muito interesse. Mas todas as vezes que eu ia treinar eu encontrava o cara e ele me perguntava: “já foi no Chute Boxe?” Um dia acabei indo, fiz uma aula e amei!

SB – Nos conte um pouco sobre essa sua fase inicial no Brasil e porque o nome “Cyborg”.
CC – Eu sempre tive muita disciplina em todos os esportes que pratiquei e sempre tentei cumprir o meu objetivo de fazer de tudo para dar o meu melhor sem se me importar com as conseqüências. Bom, eu treinava no “Chute Boxe” quando conheci o meu marido e também lutador de MMA, Evangelista Santos “Cyborg”. Já a partir daí meu apelido ficou sendo Cris “Cyborg”. Fiz muitas lutas no Brasil e a maioria ganhei por nocaute, e chegou um tempo que fiquei sem uma adversária realmente a altura de me desafiar. Fiquei dois anos sem lutar e apenas treinando Jiu-Jitsu, Muay Thai e Wrestling para poder me manter em forma ate que surgiu uma oportunidade de vir lutar nos Estados Unidos.

SB – Você falou em Muay Thai, Jiu-Jitsu e Wrestling. Você acredita que essas são suas grandes armas para o sucesso na MMA?
CC – Eu comecei treinando Muay Thai e depois fui incorporando outras modalidades, dentre as quais o wrestling e o Brazilian Jiu-Jitsu. Essa fusão é muito importante, mas em particular, acho que todo lutador que tenha grandes aspirações de conquistar seu espaço dentro da MMA, precisa possuir boa técnica para quando estiver no solo. E para isso o Brazilian Jiu-Jitsu é fundamental.

SB – Você veio direto para San Diego? Alias, porque SD?
CC – Sim vim direto para San Diego aqui na Califórnia. Na verdade eu escolhi SD porque aqui já moravam pessoas queridas e que eu já conhecia há um tempo. Mas também porque San Diego é uma cidade linda, com muitos parques, praia, pessoas bonitas e bronzeadas, boas academias e um clima excelente.

SB – Me conte um pouco do que você faz no seu dia a dia, como é a sua alimentação e qual são o seu peso e altura.
CC – O treinamento constante é sem duvida parte da minha rotina e minha alimentação sempre é bem balanceada. Alias, o meu treinador Aafael Alejarra cuida bem disso, me ajudando a ficar com o gás e o peso necessário. Eu peso atualmente 66 kilos (145 libras) e tenho 1.73cm de altura (5’8″).

SB – Me fale um pouco sobre a mulher na MMA e no seu ponto de vista quais são as perspectivas?
CC – A MMA feminina esta cada vez mais popular e fico muito feliz com isso. Farei o que estiver ao meu alcance para puder contribuir para uma maior popularidade e ver mais portas se abrindo para as mulheres na MMA. As perspectivas são realmente muito boas e acho que fazendo boas lutas e mostrando todo meu potencial poderei contribuir para que a MMA atraia cada vez mais interesse do publico em geral.

SB – Por fim me fale sobre os seus planos de futuro?
CC – Meus planos são de continuar com a mesma seriedade de sempre, treinar bastante e continuar com o meu cinturão. Em um futuro próximo, pretendo abrir minha academia Chute Boxe Cyborg’s.

Facebook Comments

Share This