Por Christine e Venkat Machiraju | Tradução por Fabiano Fonseca

A Yoga está crescendo popularmente à medida que o ser humano procura uma maneira de balancear o seu corpo e reduzir o estresse. Meu marido e eu estudamos yoga desde que éramos adolescentes e descobrimos que essa ciência realmente ajuda a desenvolver a vida e acelerar o crescimento espiritual.

Quando começamos a lecionar yoga no Canadá, éramos regularmente questionados sobre o tipo que ensinávamos. Na Índia, de onde é originada, existe somente um tipo de yoga: o caminho para a união em oito etapas ou ashtanga yoga. Esse caminho para união em oito etapas não consiste somente na posição Hatha Pretzel e respiração Pranayana. Abrange também códigos morais pessoais e sociais, concentração, focalização, meditação e união final com sua origem.

1. Yama (disciplina social): Yama significa restrição e é representado por cinco valores:

Não-violência: não causa nenhum dano físico ou mental a nenhum ser vivo. Não guarda pensamentos violentos ou fala palavras cruéis.

Não roubar: isso inclui cumprir responsabilidades individuais e contribuir para a sociedade.

Honestidade: honestidade para si próprio e para outros. Geralmente, quando mentimos para os outros, estamos realmente mentindo para nós mesmos, pois não queremos enfrentar a realidade – o que é prejudicial a nós. Isso não permite um aprimoramento pessoal.

Celibato (Moderação sexual): isso não significa abstinência sexual permanente, mas moderação entre casais ou parceiros.

Falta de Desejo: controle sobre desejos materiais e prazeres sensuais.

2. Niyama (autodisciplina): essas são as cinco qualidades físicas e mentais que o indivíduo deve possuir.

Pureza: purificação do corpo e da mente interna e externamente.

Contentamento: habilidade de permanecer com a mente calma em qualquer situação.
Austeridade ou disciplina: pureza no modo de agir, falar e pensar.

Autoestudo: procura internamente corrigir qualquer falha ou apreciar crescimento pessoal.

Rendição: rendição de todas as ações ao poder maior. Estar pronto e aberto para aprender através de todas as experiências de vida.

3. Asana: segurar o corpo numa posição para purificá-lo e curá-lo. Trazer equilíbrio para a mente. Asana ajuda na limpeza por toxinas em todas as três camadas do seu “eu”. Limpa também até as emoções negativas.

4. Pranayama (controle da respiração): o controle da respiração é praticado como uma purificação para a mente e uma maneira de balancear a energia vital no corpo. Quando o indivíduo é capaz de controlar a respiração ele pode acalmar o seu/sua mente e se aliviar do stress e tensão.

5. Pratyahara (disciplina dos sentidos): desconectando o desejo dos órgãos de sentido. Olhar interno para a alma desfrutando a conexão por tudo em criação ao invés do desejo por coisas externas ou materiais para ganho de prazer pessoal.

6. Dharana (concentração): focando a mente em um objeto para adquirir concentração completa.

7. Dhyana (meditação): o indivíduo está meditando quando consegue concentrar-se sem notar tempo ou espaço.

Samadhi (autorealização): esse é o último estágio da yoga. Também conhecido por Nirvana ou Moksha, é o estágio onde o EU e todos os objetos de fora se tornam um só. Nesse momento de Samadhi não haverá nenhuma forma de prazer ou sofrimento, somente completa união.

Uma vez que os cinco angas estão incorporados na sua vida, haverá um grande salto na qualidade da vida e felicidade assim como saúde física e mental do indivíduo. Os últimos três angas são chamados de Samyama ou disciplinas da união. Quando elas estiverem integradas o praticante de yoga não será tão afetado pelos acontecimentos que o cercam assim como também não se aborrecerá e nem se deixará cair por objetos externos. Nós devemos tentar viver com todos os oito angas em união ao invés de somente tentar fortalecer o corpo através de Asana.

A partir do momento em que estamos conhecendo melhor o nosso corpo, nós geralmente iniciamos os exercícios físicos da Yoga movendo internamente e gradativamente as técnicas de concentração e meditação em direção as camadas mais profundas do seu EU. Porém o corpo é somente a camada externa desse EU. As outras duas camadas restantes são energia e camada do pensamento consciente.

A Yoga ajuda a limpar todas essas três camadas do EU. Ajuda também a sincronizar e fortalecer o corpo físico, que consiste em músculos, órgãos e a carne.

Chakras e meridianos ou nadis estão situados na segunda camada, o corpo astral. A prática da Yoga ajuda a remover do nadis, vagarosamente, camadas de escuridão para criar um trajeto desobstruído para a energia fluir para os chakras. O nosso corpo é como se fosse um disco rígido: guarda todos os nossos samskaras ou memórias dos nossos atos passados das vidas anteriores. Praticar as técnicas de meditação e concentração ajuda o indivíduo a remover vagarosamente os bloqueios e mágoas que foram armazenados nessa camada do pensamento.

A prática da yoga nos leva às camadas mais profundas do “eu” para que a vida se torne menos física – nós nos incomodamos menos com as coisas que acontecem a nossa volta para conseguir encontrar paz em todas as situações. Quando passamos a ficar cientes dessas camadas nós não nos sentimos separados das outras pessoas e sentimentos de ódio e raiva começam a desaparecer.

A vida está num nível de energia e não em um nível físico. Através da prática da yoga nos esforçamos para limpar todas essas energias físicas pesadas e progredimos para um mundo melhor na nossa próxima vida (existem planos astrais e casuais tanto quanto planos físicos como a terra). Yoga é mente/corpo/disciplina espiritual. A medida que um praticante progride ele/ela se torna ciente da transformação que está ocorrendo nas três camadas do seu “eu”.

A yoga tem ganho em popularidade contribuindo para o surgimento de vários tipos e estilos – Iyengar, Viniyoga, Power Yoga, etc. A lista é quase interminável. Muitos desses tipos são intitulados por seus fundadores e principalmente variam em como são praticadas as posições físicas.

Porém, tradicionalmente, somente cinco tipos foram fornecidos: Karma Yoga: fazendo o bem em nome do bem e não para um ganho pessoal. Raja Yoga: trajeto a meditação. Mantra Yoga: envolve a musicalidade dos sons que vibram no mundo físico e astral. Sua base é o fato de que o universo inteiro é mantido e foi criado por vibrações e sons. Laya Yoga: concentração em sons astrais que podem ser escutados pela sua audição interna ao invés da musicalidade para imitar esses sons com o corpo físico. Hatha Yoga: estado de espírito para balancear energias opostas como homem e mulher, yin e yang e preparação do corpo para a prática da meditação.

Nós podemos ver que os cinco tipos de yoga se diferenciam não pela forma que eles atuam suas posturas físicas e sim pela sua aproximação ao esclarecimento.

Venkat & Christine estudaram Yoga por muitos anos e receberam certificados na Índia. Eles voltaram ao Canadá onde, hoje, comandam um instituto de autocrescimento e unificação chamado Journey to the Soul (Viagem à Alma). journeytothesoul@accesscom.com.ca

Facebook Comments

Share This